segunda-feira, 26 de maio de 2008

Lamber-Te Como Doce Das Negras Nuvens...


Perfeita chegada minha

pelas reentrância entre os lençóis

de Teu Leito

e as reentrâncias de Tua buceta,

reentrâncias que a cada examinar meu

com um olhar de safado doutor

demonstram que a foda mais gostosa

também pode ser a foda do olhar.


Tu Te deitas assim no leito,

as nuvens negras carregam

os próximos e os distantes horizontes,

meu pau atinge uma altura inimaginável

e Te faz chupá-lo por baixo

dos lençóis carregados

pelo nosso suor.


Gosto da Tua chupada,

chupada bem devagar,

chupada de profissional do boquete

que me deixa sem o ar que se respira

em recintos de fogo árduo e águas fátuas,

recintos como o deste teu leito

cheio de remédios para os meus delírios

de febril bardo solitário.


Tu vais me chupando,

Lilith,

como uma serena sabedora do que

me dá o causticante alívio maior

da orgástica virtude de ser chupado,

tu engoles meu pau

em Teu Leito Negro Leito,

Nuvens Negras No Abismo,

chove esperma,

meu esperma Tu engoles,

meu esperma Tu consagras

ao Teu Útero De Negro Amor...


Ainda meu pau duro,

Tua Magia tornando o meu pau

mais duro,

eu olho para as reentrâncias de Tua buceta,

Tu deitas de lado,

olho para as reentrâncias de Teu cu,

mais duro,

mais duro assim,

mais duro assim mesmo,

Tu me castigas,

Tu me massacras,

Tu me devoras,

deixando-se penetrar de ladinho

pelo cu,

eu vou selvagem entrando,

eu vou selvagem Te fodendo,

eu vou selvagem Te comendo!


As Negras Nuvens

No Leito,

Teu Leito,

Lilith,

rondam nossa Foda Sagrada,

a cada socar do meu pau

no teu cu

uma Nuvem toma forma

e uma Negra Criança Nasce,

Negra Criança que abortada é,

pois As Negras Crianças

Da Esfera Da Foda Sagrada

De Lilith E Seu Inominável

Filho Consorte

São Natimortos Nos Abismos

Das Estradas!


De lado meu pau vai entrando,

vou girando-o em Teu cu,

Tu vai querendo que eu seja

mais selvagem,

selvagem então eu sou,

movendo todos os dedos das minhas

poéticas mãos safadas

na tua buceta,

nas reentrâncias de tua buceta,

os lençóis tornam-se mares de suor,

Suor Negro Suor,

Tuas Filhas Desconhecidas

nos cercam,

Tuas Filhas Conhecidas

nos observam,

vou Te fodendo com meu pau,

vou Te fodendo com minhas mãos,

Tu vais gozando,

gozando como Fêmea Incendiada,

o leito balança,

o leito arrasa-se,

o leito,

O Leito De Lilith,

Teu Lilith,

Alcança O Ômega!


Beijo a Tua nuca,

entre os lençóis,

as reentrâncias novas

dos lençóis...


Ponho em meus lábios

os dedos de minhas mãos,

lambendo fico o suor

da tua buceta,

entre os lençóis,

as reentrâncias novas

dos lençóis...


Tu acaricias minhas nervosas nádegas,

eu mordo-lhe o pescoço

e chupo-lhe um pouco de sangue,

sangue,

Teu Sangue,

Lilith,

entre os lençóis,

as reentrâncias novas

dos lençóis...


Teu Sangue transborda,

Lilith,

Teu Leito Rubro me alimenta,

sugo todo sangue nele,

entre os lençóis,

as reentrâncias novas

dos lençóis...


Entre os lencóis,

no Ômega,

Lilith,

Tu Sabes que fique ainda

dentro do teu cu,

cu quentinho,

cu materno quentinho,

meu pau ficou duro,

priapismo,

Sou Príapo,

quero mais uma selvagem foda,

empina o cu,

Lilith,

empina,

empina,

empina,

de ladinho,

assim,

enfio,

enfio,

enfio,

TUDINHO!!!


Depois,

Lilith,

quero ficar a lamber-Te

como doce das negras nuvens...


Lamber-Te,

Lilith,

meu Negro Doce...


Lamber-Te,

Lilith,

minha Negra Nuvem...


Lamber-Te,

Lilith,

minha Negra Esposa...


Inominável Ser

NOS LENÇÓIS

DO LEITO

DE LILITH

ENFIANDO TUDINHO

INFINITAMENTE

NO CU DELA





Nenhum comentário: