terça-feira, 22 de julho de 2008

Escuridão E Tempo De Silencioso Foder


Na Escuridão Te procuro,

Lilith,

Na Escuridão quando estou

A pensar nas desgraçadas humanas

Com seus corpos frágeis

E efêmeros

Que apenas são utilizáveis

Por algumas horas

E,

Depois,

Podem ser jogados fora.

Até pode parecer

Que o macho maior do mundo

Aqui eu possa ser,

Mas desprezar as

Desgraçadas humanas

E Te desejar

Como A Única

Que na Face Da Mãe Cósmica

Estou a buscar,

E sempre

Busquei,

É sinal da minha escolha

Em assim percorrer

A Senda Noturna

E A Flecha Da Luz

Que Morre

Para Renascer Selvagem

No Brilho Dos Fortes.


Na Escuridão,

Lilith,

Meu pau esvoaça

As Coisas Mortas,

As Coisas Vivas,

As Coisas Não-Mortas,

As Coisas Não-Vivas,

Sou um cabo de espada

Vencedora

Que sempre cravada é

Em seu ponto a ser

Atacado.

Na Escuridão,

Lilith,

O ponto em Ti

Que ataco

É de todos os buracos

Do Teu corpo,

O buraco de cima

Que é Tua boca,

O buraco de baixo

Que é Tua buceta,

O buraco

Do outro lado de baixo

Que É Teu cu.


Na Escuridão.


Escuridão.


Na Escuridão.


Escuridão.


Estremeço

Na Escuridão.


Escarro

Na Escuridão.


Escapo

Na Escuridão.


Encontro

Na Escuridão.


Fodo Contigo

Na Escuridão,

Lilith,

Laços De Eterno Sangue

Nos une,

Eu verto

O meu,

Tu vertes

O Teu,

Eu bebo

Teu Sangue,

Tu bebes

Meu sangue,

Com um punhal

Corto Tua

Jugular,

Com um punhal

Tu cortas minha

Jugular,

Eu sugo

Teu Sangue,

Tu sugas

Meu Sangue,

Enquanto isso

Meus obscuros dedos

Percorrem as escuridões

Do Teu cu,

Enquanto isso

Teus obscuros dedos

Percorrem as escuridões

Do meu cu...


Na Escuridão...


Na Deusa Escuridão.


Na Escuridão...


Na Deusa Escuridão.


Na Escuridão...


Nela,

Na Deusa Escuridão,

Tua Irmã,

Minha Mãe

Também.


Inominável Ser

NA ESCURIDÃO

SUGANDO O SANGUE

DE LILITH

TENDO O SEU SANGUE SUGADO

POR LILITH

SENDO DEDADO

E DEDANDO

LILITH





Nenhum comentário: