terça-feira, 19 de agosto de 2008

Senhora Da Cidade Infernal Que Interminavelmente Fode Em Torturas


Barx-Zen-Mohrah,

A Cidade Infernal

Que é uma das Cidades

De Sheol,

O Círculo Infernal

Cuja Governante É Lilith,

Apresenta-Se aqui

Diante de todos nós.


Para lá,

Foi enviado

O Marquês de Sade.


Para lá,

Foi enviado

O Marquês de Sacher-Masoch.


Para lá,

Foi enviado

O Lord Byron.


Para lá,

Foi enviado

Ugolino della Gherardesca.


Para lá,

Foi enviado

Alberigo de'Manfredi.


Para lá,

Foi enviado

Branca D'Oria.


Para lá,

Foi enviado

Cassius.


Para lá,

Foi enviado

Brutus.


Para lá,

Fui enviado

Em 1284

Por ter sido

Um sádico devasso

Traidor da puta igreja,

A mesma puta

Igreja Católica

Que fode todo cu

Que a segue,

E encontrei

Dante e Virgílio

Quando por lá

Eles passaram.


Me uni aos Gamaliel,

Recuperei minha

Essência Demoníaca,

Pois nascia primeiramente

Nos Infernos

Em Idades Perdidas

Nas quais eu ainda era

Uma criança caminhando

No Kosmos.


Agora retorno

A uma das Cidades

Nas quais vivi,

E me lembro,

Me lembro,

De foder e de foder

Com tudo que se mexia

E até com as chamas

Dos cantos embebidos

De fétidas incinerantes

Lamas.


Retorno a um dos meus

Berços Originais,

Vendo torturas

De homens e de mulheres

Efetuadas pelos

Meus Irmãos Gamaliel,

Torturas observadas

Por Lilith,

Torturas sexuais

Exigidas pelos

Espíritos encarcerados

Na Cidade,

Torturas que me deliciam

E me dão vontade

De participar...


Participar...


Quero torturar...


Participar,

Eu quero...


Quero torturar...


Participar...


Eu quero...


Eu quero

Torturar...


Quero...


Quero...


Quero...


Torturar...


Eu vou torturar...


Eu vou torturar...


Torturar...


Eu chuto o pau

De mil homens,

Corto cada pau

Com um arame

E enfio assim

Cheio de sangue

Nas bocas de mil mulheres,

Que eu mijo e cago

Em cima

E,

Depois,

Arrasto até enxofre queimando

Ao longo de uma

Depravada esquina!


Esfaqueio as bucetas

De dez mil mulheres,

Rodo o cabo,

Faço-as gritar

De infernal prazer

Equivalente aos fedores

De todos os ralos,

Mordo-as nos seios,

Arranco-lhes com os dentes

Os mamilos,

Arranco-lhe com os dentes

Os lábios,

Arranco-lhe com os dentes

Parte das carnes

Dos abdômens!


Como os mamilos!


Como os lábios!


Como as carnes!


De dez milhões

Sugo o sangue,

Arrancado pelos pregos

Que cravo nos olhos

Deles,

Sugo com satisfação

De criatura insana,

Sugo com satisfação

De criatura sã,

Sugo sugo sugo,

Sugo,

Quero continuar,

Quero continuar,

Quero continuar...


Quero!


Quero!


QUERO!!!


QUERO!!


QUERO!!


Quero...


Quero...

Quero...


Quero...


Mas,

O Guardião Do Umbral,

Aquele À Frente

Do Portal Negro,

Devolve-me ao meu

Invólucro material,

E eu ressurgo aqui

Em meu cruel quarto

Cheio de sangue,

Babando sangue,

Não o meu,

Mas o de Lilith,

Ela me permitiu

Sugar-lhe,

Com pregos perfurei

Os olhos Dela,

Através de pregos

Suguei o Sangue

Dela...


E eu vejo muito mais,

Vejo Muito Mais,

Agora.


Inominável Ser

VENDO MUITO MAIS

APÓS SUGAR

O SANGUE DOS OLHOS DE

LILITH








Nenhum comentário: