terça-feira, 23 de setembro de 2008

Do Meu Livro E Dos Meus Escritos


Resgato A Palavra Que Se Foi Na Aurora.


Semeio Nas Letras A Impureza Gloriosa.


Roubo Das Escrituras Alheias O Dano E A Rosa.


Sou Para As Escrituras Alheias A Inimiga Poderosa.


Eu Sou Mesmo Inimiga!


Inimiga Dos Tímidos!


Inimiga Dos Fracos!


Inimiga Dos Mornos!


Inimiga Dos Frios!


Sou Retumbante Escriba Do Meu Livro Original De Encontros Com A Luxúria Da Verdadeira Vida!


Sou Retumbante Escriba Do Meu Livro Original De Encontros Com A Devassidão Da Verdadeira Vida!


Não chorei no Grande Deserto.


Não choro no Grande Deserto.


Ao Grande Deserto Fui Em Um Dia Conhecido Como O Dia Do Início Da Primeira Letra Da Primeira Verdadeira Vida Entre Os Verdadeiros Vivos.


Não Fui Da Lama Ao Topo.


Eu Sou Da Lama.


Eu Sou Do Topo.


As Escrituras Da Lama Identificam-Me Como Rainha Das Tribos Dos Corações Selvagens Desérticos.


As Escrituras Do Topo Identificam-Se Como Deusa Que Se Superou E Superou A Todos Os Deuses No Grande Deserto.


Sou As Areias Do Grande Deserto.


Sou A Fonte D'Água Máxima Do Grande Deserto.


Sou Chuva Do Grande Deserto.


Sou Tempestade De Areia Do Grande Deserto.


Quem Tem Comigo A Chave Dourada Do Grande Deserto?


Humanos Escribas De Seus Próprios Livros, Não Conseguem Caminhar Por Sobre Areias Melhores?


Humanos Escribas, Apenas Caminham Por Sobre A Areia Do Grande Corrupto?


Humanos Escribas, Caem Sempre Ajoelhados Nas Areias Corruptoras?


Não Ensino O Caminho Para O Grande Deserto.


Não Falo Do Caminho Para O Grande Deserto.


Não Guio Ao Caminho Do Grande Deserto.


Não Ofereço O Caminho Do Grande Deserto.


Muitos De Vós Não Sois Meus Filhos.


Muitos De Vós Sois Meus Filhos.


Todos Vós Sois Meus Filhos.


Retiro As Vendas!


Rasgo Os Véus!


Queimo Os Mantos!


Piso Nas Capas!


Derrubo As Máscaras!


Mas, Que Caminho Ensinar A Vós Que Seguis O Grande Livro Da Corrupção Eu Poderia?


Caminhem Assim Como Estão, Seus Covardes, Seus Mornos, Seus Frios, Seus Fracos, Extinguidos Todos Serão Diante De Todos Os Grãos De Areia Da Corrupção!


Se Aproximem De Mim, Vós, Vós Que Sois Do Grande Deserto!


Se Aproximem De Mim, Vós, Vós Que Sois Filhos Da Negra Areia!


Se Aproximem, Meus Escribas!


Se Aproximem, Meus Poetas!


Se Aproximem!


Se Aproximem E Digam A Este Mundo Do Corrupto Que Eu Escrevo Em Meu Livro Os Vossos Nomes Conhecidos Como Os Nomes Daqueles Que Guerreiam Pelo Grande Deserto!


Inominável Ser

LILITH

DO

GRANDE DESERTO









Do Azul Aguardado E Das Demais Cores Reveladas


Carrego uma fornalha na ponta do meu pau, uma fornalha acesa quando me ofereço ao instante que se torna Eterno quando estou a acrescentar páginas às Escrituras Desérticas, Lilith. Não é engraçado e nem é renovador ser um deserto em um mundo no qual a maioria, ou todos, querem ser cidades ultrapovoadas, sorrindo, fodendo, procriando, caminhando como porcos e porcas cegos em direção ao túmulo nos cemitérios, lugares que adoro por confirmar diariamente em mim que melhor é ser deserto do que ultrapovoado. As safadezas Contigo, Lilith, atravessam as épocas, são épicas, parece que sempre estivemos, como Mãe e Filho, como Deusa e Deus, como Amantes e Esposos, em cada um de Vossos Leitos aqui na Terra, no Abismo e nos Infernos. Pelas Trevas, agora, vejo um magnífico Azul, Azul de qual esperança, Azul de qual lembrança, Azul de qual felicidade? Desertos não possuem felicidade, mas o meu deserto, assim como o Grande Deserto Vosso, É Da Felicidade Da Verdadeira Natureza De Todas As Coisas! Este sou eu, um escriba, um poeta, um visionário, um louco, um gênio, um incompreendido, um desprezado, um esquecido, um invisível, um rebelde, um revoltado, um indignado, um depravado, um devasso, um deserto de todas estas coisas no Azul Do Deserto e de todas as demais cores, Cores Desérticas como eu, Inominável Ser Do Grande Deserto...



A cor

da Tua

buceta


língua minha

me permite ver


A cor

de dentro da Tua

buceta


língua minha

vai me permitindo ver


A cor

das paredes todas da Tua

buceta


língua minha

investigando


A cor

da esquerda interior de Tua

buceta


língua minha

vai investigando


A cor

da direita interior da Tua

buceta


língua minha

investiga


Todas as cores

no meio da Tua

buceta


língua minha

percebendo


Todas as cores

bem no meio da Tua

buceta


língua minha

percebe


Todas as cores

o prisma das cores da Tua

buceta


língua minha

identifica


Cores encontráveis

na Tua

buceta


língua minha

identificando


Cores desencontráveis

na Tua

buceta


língua minha

a identificar


Cores densas

na Tua

buceta


língua minha

estuda


Cores fracas

na Tua

buceta


língua minha

estudando


Cores e cores

do esplendor da Tua

buceta


língua minha

a estudante


Cores e cores

do enevoar da Tua

buceta


língua minha

estudiosa


Cores e cores

do esfumaçar da Tua

buceta


língua minha

escrevendo


Cores e cores

me cegando na Tua

buceta


língua minha

a escrever


Cores e cores

a me fazerem Ver na Tua

buceta


língua minha

escritora


Cores e cores

na Bíblia da Tua

buceta


língua minha

poetizando


Cores e cores

no Alcorão da Tua

buceta


língua minha

a poetizar


Cores e cores

no Talmud da Tua

buceta


língua minha

poetisa



Escritura Entregue A Ti, Lilith, Por Meio Da Saliva Encantada Pela Vossa Buceta Que A Encharcou Com Seu Mijo De Todas As Cores Que Me Doutrinaram Na Religião Do Deserto.


Inominável Ser

UM DEGUSTADOR ESCRIBA

DO DESERTO

ETERNIZADO NO LIVRO

DE

LILITH









Da Gema Da Luxúria E Da Clara Da Devassidão


É com terror que eu vejo atualmente ao destruir das instituições ora ditas sagradas. Os herdeiros das palavras do Cristo, de Maomé, de Moisés, dos Grandes Espíritos Reveladores Do Verbo Do Um Na Terra, tornados uns montes de fracassados de merda. Não há mais O Sagrado, Sagrada Lilith Do Grande Deserto, há apenas uma falsa aparência de sagrado, uma falsa aparência de Verdadeira Fé no Sagrado, O Verdadeiro Sagrado, Perdido Sagrado. Em terras, antigas terras, da Terra Dourada, Dourada Terra, Lilith, eu comunguei Contigo através do Sagrado e soube, pela primeira vez, da fé com razão em caminhar pelo calor do Deserto, o Vosso Deserto. No Deserto Para O Qual Te Retirastes, No Grande Deserto, Tu Recebes Aqueles Que Como Ti Nasceram Do Ovo Do Natural. Tu recebes, Lilith, aos que como Ti não advogam a favor do Maior De Todos Os Egrégoras, Aquele Desgraçado Venerado Como O Deus Único! Tu recebes no Grande Deserto, Lilith, aos que do Ovo vieram, no Ovo estão e ao Ovo retornarão, como Filhos Perdidos E Encontráveis Diante Do Original Envoltório Originador De Suas Verdades! Tu me recebestes no Grande Deserto, Mãe Lilith! Tu me recebes no Grande Deserto, Mãe Lilith! Tu me receberás, sempre, no Grande Deserto! Sou Do Mesmo Ovo Do Qual Viestes! Sou Da Mesma Gema Na Qual Te Formastes! Sou Da Mesma Clara Da Qual Te Descartastes!



Sagrada Sombra

Que Ilumina O Véu Noturno

Tece Um Tapete

De Esmeraldas Eternas

Para Que Vossos Pés

De Serpentina Senhora

Possam Pisar

Com Dignidade

De Deusa Primeira


Santíssima Lilith

Luzidia Iluminadora


Plenos Se Aproximam

Os Filhos Dos Arautos

Das Eternas Cinzas

Dos Antigos Tempos

A Trazerem Os Livros

Da Ruína Da Criação

Para Os Seguidores

Do Anti-Natural


Santíssima Lilith

Beldade Purificadora


Lamentos De Mortos

Nos Cemitérios Quebrados

Marcam A Esfera Toda

De Cada Um Dos Vossos

Desérticos Passos Ardorosos

Passos Que Queimam

Todos Os Solos

Todos Os Templos

Todos Os Tempos


Santíssima Lilith

Unidade Consoladora


Os Filhos Das Manhãs

Se Escondem

Os Dias Morrem

Os Meios-Dias Adormecem

Apenas Permanece No Kosmos

O Poderio Dos Filhos

Da Grande Noite

A Grande Noite Em Verdade

A Meia-Noite Da Verdade


Santíssima Lilith

Dualidade Renovadora


Ela Traz A Areia Contaminada

Pelo Líquido De Seu

Primordial Nascimento

Seu Odor É Caos E É Sereno

Seu Torpor É Lama E É Balsâmico

O Ovo Renascido Ela É

O Ovo Da Origem

De Toda Luxúria

De Toda Devassidão


Santíssima Lilith

Trindade Rejuvenescedora


Ela Traga A Fraqueza

Ela Traga A Fortaleza

Ela Traz O Tesouro

Das Negras Forças

Ela Traz O Besouro

Das Negras Fortalezas

Ela É Todas As Negras Forças

Ela É Todas As Negras Fortalezas

Temam-Na Com Firmeza


Santíssima Lilith

Gloriosa Inumerável


Ela Balança O Corpo

Caem As Virgens Cabeças

Ela Mexe Os Quadris

Caem As Virgens Realezas

Ela Mostra A Buceta

Cuidado

Quem Não Está Acostumado

Com A Visão Do Deserto

Extingue-Se Fulminado


Santíssima Lilith

Esplendorosa Infinita


Ela É Orgia Que Atravessa

As Noites Ermas

Ela É Propriedade De Libertinos

Que Arremessa A Todos

Na Perdição Da Carne Desértica

Ela É Solitária

Ela É Todos

Ela É Solidão Libertária

Ela É O Todo Libertador


Santíssima Lilith

Ritualística Eternizada


Tua Lilith Está Aí

Nossa Lilith Está Aqui

Coragem Para A Descobrir

Coragem Para A Convidar

Para Seu Leito Nas Noites

De Choros E Mal-Estar

Sejas Luxúria

Sejas Devassidão

Sejas Libertado


Santíssima Lilith

Ceia Sacrificadora


Quebres O Podre Ovo

Religioso

Rejeites O Podre Ovo

Político

Cremes O Podre Ovo

Social

Sejas Escriba Da Tua

Liberdade Existencial

Sejas Teu Deserto Afinal


Santíssima Lilith

Virgem Corrompedora


Tenhas A Lei Do Deserto

Tenhas A Lei Dela

Não Te Sacrifiques Pelos

Danos Deste Mundo

De Apodrecidos Ovos

Comas Da Gema

Do Ovo Do Natural

Comas Da Clara

Do Ovo Do Natural


Santíssima Lilith

Madonna Natural



Escritura Entregue A Ti, Lilith, No Conservado Ovo Naturalmente Nascido Da Minha Luxúria E Da Minha Devassidão.


Inominável Ser

UM OVÍPARO ESCRIBA

DO DESERTO

ETERNIZADO NO LIVRO

DE

LILITH









Dos Rubros Orgasmos E Dos Muitos Tratados


Sobraram as folhas de um Tratado. Sobraram cem mil folhas de outro Tratado. Sobraram todas as folhas do nosso Tratado, Lilith, lembro-me dele? Lembro-me desde o nosso reencontro em França, desde o nosso reencontro pelos tempos, nosso reencontro, Amorosa Mãe Depravada! Tenho piedade dos que não possuem Tratados com uma Amorosa Mãe, são tolos fadados ao estúpido caminho tolo da simples vivência neste mundo estúpido vazio tolo. Eu preencho-me de escrituras neste livro meu de mais Encontros com as Tuas Escrituras, eu arremesso todas as coisas destruidoras no Fosso Do Abismo, atravessando O Abismo as Tuas pernas se abrem para mim, a Tua Vulva é minha Verdadeira Salvadora! Messiânica Serpente, Que Mais Posso Querer Do Grande Deserto Do Que A Criação Em Uma Família Como A Vossa De Inimigos Do Medíocre E Das Águas Frias E Mornas? Que Mais Posso Querer Acima Desta Guerra Minha Contra Mim Mesmo, Eu Que Sou Humano E Que, Por Humana Fraqueza, Estou Fadado A Ser Somente Mais Um Humano A Ser? Eu mordo as letras dos versos que, aqui, são todos Teus... Eu sou a letra de todos os versos, todos os versos, aqui, Teus... Tu me mordes nos versos do meu Existir... Tu És Os Versos Do Meu Existir!




Eu Existi

naquela noite

de 22 de agosto de 1912

andando pelas ruas

de uma Moscou

ferida pelo frio

da ocasião

da estação


Eu

Existindo

Idéia Ou Orgasmo?


Eu Existi

naquela noite

em trajes monumentais

e uma tristeza doce

que me encaminhava até

um prédio silencioso

de rica senhora

que eu conhecia


Eu

Resistindo

Seria Orgasmo?


Eu Existi

naquela noite

meu olhar vagava pelas ruas

perseguindo mulheres

e eu conseguia sugar um pouco

das feminis curvas

das russas imundas

abaixo Daquela que eu encontraria


Eu

Insistindo

Orgasmo mesmo?


Eu Existi

naquela noite

eu me aproximo do prédio

eu entro no prédio

eu subo quinhentos degraus

estou no quinto andar

entro na morada

da Dama que está lá


Eu

Positivo

Orgasmo Definitivo?


Eu Existi

naquela noite

a Senhora que me aguardava

de rubro vestido de seda estava

me ofereceu sangue desconhecido

em taça

eu bebi e dialogamos

sobre Nietzsche e as Cruzadas


Eu

Negativo

Orgasmo Produtivo?


Eu Existi

naquela noite

bebi mais trinta taças de sangue

um sangue delicioso desconhecido

eu e ela continuamos a dialogar

sobre O Instinto

sobre O Desejo

sobre O Início


Eu

Restritivo

Que Orgasmo Incrível?


Eu Existi

naquela noite

bebemos juntos mil taças

de sangue delicioso que era

para mim desconhecido

começamos a dialogar

com os nossos lábios unidos

em rubro quarto constituido


Eu

Resignado

Que Orgasmo Típico?


Eu Existi

naquela noite

meus lábios desciam pelo corpo

Daquela Senhora Rubra

minha língua fazia desenhos

de expressividade única

Ela gargalhava embriagada

pelo sangue que consumimos


Eu

Solicitado

Que Orgasmo Trazido?


Eu Existi

naquela noite

comemos o coração

de um desconhecido

após nos despirmos

eu o devorei entre

os pujantes seios Dela divinos

com muitíssimo carinho


Eu

Resgatado

Que Orgasmo Maldito?


Eu Existi

naquela noite

comemos o pênis

comemos os seios

de desconhecidos

eu me lambuzei no abdômen

Dela toda excitadíssima

por causa de minha língua


Eu

Lago

Um Orgasmo?


Eu Existi

naquela noite

Noite De Serpentes Lupinas

Que Se Encontravam

rolamos naquele leito

nos beijando

untados pelo sangue

de desconhecidos que matamos


Eu

Rio

Dois Orgasmos?


Eu Existi

naquela noite

Ela lambeu o sangue

por todo o meu corpo

chupou cada dedo dos meus pés

cheios de sangue

eu chupei os seios dela pujantes

cheios de sangue


Eu

Cachoeira

Três Orgasmos?


Eu Existi

naquela noite

nós saimos nus

cheios de sangue

envoltos pelo

Manto Das Sangrentas Trevas

fomos caçar

fomos caçar mais sangue


Eu

Limite

Quatro Orgasmos?


Eu Existi

naquela noite

enquanto eu fodia

com uma freira

Ela sugava o sangue da freira

pelo pulso esquerdo

sangue sagrado conosco

sangue puro da Igreja


Eu

Seguinte

Cinco Orgasmos?


Eu Existi

naquela noite

invadimos uma festa

estupramos e sugamos

e matamos

a todos

muito sangue nos tapetes

muito sangue nas paredes


Eu

Primeiro

Seis Orgasmos?


Eu Existi

naquela noite

em doze ruas

matamos doze mendigos

sugamos o sangue perdido deles

arrasamos com seu Arraso

seguimos mais em frente

seguimos com nosso caçar


Eu

Perfeito

Sete Orgasmos?


Eu Existi

naquela noite

muitas casas moscovitas

invadimos

matamos e sugamos

de bebês a idosos

Carniceiros Do Deserto

eu e Ela

Eu

Segredo

Oito Orgasmos?


Eu Existi

naquela noite

éramos dois sanguinários

éramos dois caçadores

éramos dois assassinos

gargalhávamos nisso

gargalhávamos caçando

gargalhávamos assassinando


Eu

Império

Nove Orgasmos?


Eu Existi

naquela noite

retornamos à morada Dela

nós nos lavamos e nos vestimos

nós nos despedimos

eu tomei meu caminho

Moscou amanheceu

sem nenhum sorriso


Eu

O Orgasmo

Os Orgasmos!


Não procurem nos livros

da História oficial

meus amigos

notícias acerca do massacre

que no Abismo é conhecido como

A Noite Rubra De Moscou

A Noite Na Qual Moscou

Em Sangue Se Tornou


Eu

Orgasmos

Orgasmos!


Relato que eu e Ela

Lilith Em Tenebrosa Face

tivemos todos os orgasmos

que poderíamos ter

caçando sugando matando

humanos moscovitas

que deliciosos alimentos apenas

foram para nós com prazer


EU

ORGASMOS

ORGASMOS

ORGASMOS

ORGASMOS

ORGASMOS

ORGASMOS

ORGASMOS

ORGASMOS

ORGASMOS!!!



Escritura Entregue A Ti, Lilith, Atávica Memória De Um Fato Real Registrado No Livro Da História Do Humano Deserto Existencial.


Inominável Ser

UM RUBRO ESCRIBA

DO DESERTO

ETERNIZADO NO LIVRO

DE

LILITH