quarta-feira, 22 de outubro de 2008

WEBREVISTA PROJETO C.O.V.A. - 1ª EDIÇÃO





Inomináveis Saudações a todos!

Dando um tempo nas penetrações vulvísticas realizadas aqui neste blog, é com um prazerosamente abismal prazer que estou a escrever esta mensagem de apresentação de mais uma fase concreta de realizações que nascem do Projeto C.O.V.A.

Mesmo diante de um mundo que ultimamente pouco preza pela cultura e pelo conhecimento, pela capacidade de fazer acreditar que ainda se pode construir algo de valor e qualidade, eu e muitos outros continuam a lutar, mesmo contra tudo e todos que não apreciam as oportunidades de obtenção de cultura e o conhecimento. O objetivo do Projeto C.O.V.A. é esse, proporcionar, conjuntamente com a valorização do Universo Sombrio e de temáticas gerais que sejam propiciadoras de conhecimentos a mais a todos que os quiserem, uma organização de interesses culturamente amplos. Tais interesses não são levianos, nem medíocres e nem absurdos.

Creio nisto e, para o desespero de todos os meus inimigos e daqueles que pensam e dizem e torcem para que o Projeto C.O.V.A. não passe apenas de mais um projeto sem desenvolvimentos e finalidades concretas, faço hoje o lançamento oficial do nosso veículo virtual de divulgação de Arte, Literatura, Poesia, Música e Conhecimentos Gerais, a Webrevista Projeto C.O.V.A.

Será uma edição mensal, sempre contando com as contribuições dos que gostarem e apreciarem auxiliar na construção de algo. Nesta primeira edição, estes são os assuntos nela abordados:


Tributo A Álvares de Azevedo

Mitologia - Uma Pequena Introdução

Tatuagem - Algumas Considerações


Por se tratar de uma edição de estréia, as suas 52 páginas enfocaram em sua grande parte um dos maiores autores brasileiros, Álvares de Azevedo. Contamos, eu e a Elektra, a Demolidora Editora, que Administra junto comigo o fórum do Projeto C.O.V.A. no Forumeiros, com as contribuições de Alessandro Reiffer e Ariadne, Poesia e Desenho, dando uma apurada face à edição. Para baixá-la, escolham qualquer um dos links abaixo:


Media Fire


Badongo


Bigupload


Aos que se interessarem em enviar contribuições (artigos, poemas, contos, desenhos, ilustrações e fotografias) para as próximas edições, por favor, entrem em contato através deste e-mail:

projetocova@gmail.com

Leiam e enterrem-se nesta Cova!

Saudações Inomináveis a todos!




Melancolia - c.1618 - Domenico Feti


Links:

Projeto C.O.V.A. - Forumeiros

Projeto C.O.V.A. - Ning

Projeto C.O.V.A. - HI5

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Os Crânios Que Coleciono São Meus Troféus Na Guerra

-->
Meu Cavalo Negro É Do Semblante Decapitante De Todos Os Mais Ferozes Guerreiros.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos De Vênus.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos De Marte.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos De Plutão.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos De Mercúrio.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos De Netuno.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos De Júpiter.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos De Urano.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos De Saturno.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos Da Terra.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos Do Sol Branco.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Do Sangue Dos Filhos Da Lua Branca.

Forjo As Minhas Vitórias Acima Dos Mundos Que Seguem A Falsidade Do Deus Único.

Forjo As Minhas Vitórias Diante Dos Exércitos Do Egrégora Que Quer O Vosso Interno Mundo.

Forjo As Minhas Vitórias Diante Dos Filhos Do Anti-Natural Que Corrompem Toda A Criação.

Sou A Generalíssima Dos Exércitos De Lúcifer!

Sou A Campeã Das Batalhas Pelas Esferas Da Criação!

Sou A Embaixatriz Dos Crânios De Meu Trono E A Imperatriz Dos Crânios Em Minhas Mãos!

Há Uma Guerra Ocorrendo, Humanos!

A Grande Guerra Espiritual!

Ergam-Se A Partir De Minha Vulva Para A Vossa Liberdade Existencial!

Sigam-Me Aqueles Que São Inimigos Do Anti-Natural!

Sigam-Me Aqueles Que Negam-Se A Ser Filhos Do Anti-Natural!

Sigam-Me Aqueles Que Odeiam O Anti-Natural!

Sintam O Odor De Minha Vulva Cheia Do Sangue Dos Inimigos Que Decapito!

Sintam O Odor Do Sangue Dos Crânios De Cada Um Deles Que Tenho Como Troféus!

Sintam O Odor De Vossas Carnes Querendo Mais!

Mais Do Que Comer!

Mais Do Que Beber!

Mais Do Que Dormir!

Mais Do Que Acordar!

Mais Do Que Foder!

Mais Do Que Procriar!

Mais Do Que Envelhecer!

Mais Do Que Adoecer!

Mais Do Que Desencarnar!

Mais Do Que Reencarnar!

Olhem Para A Minha Vulva Cheia De Glórias Sangrentas, Humanas!

Olhem Para A Minha Vulva Cheia De Glórias Sangrentas, Humanos!

Lilith Vos Convoca Para Colecionar Crânios Anti-Naturais, Humanas!

Lilith Vos Convoca Para Colecionar Crânios Anti-Naturais, Humanos!

Lilith Vos Dá A Chance De Serem Semelhantes Ao Natural, Ao Verdadeiro, Ao Pai Da Mãe, À Mãe Do Pai, Nosso Pai E Mãe, Nossa Mãe E Pai!

O Verdadeiro Eu Sigo!

O Natural Eu Sigo!

Quem Vos Quereis Seguir No Grande Mar?

O Natural Que Te Dá A Minha Vulva?

O Anti-Natural Que Te Dá Apenas Humanas Medíocres Agruras?

Decidam, Humanas!

Decidam, Humanos!

A Guerra Já Está Aos Vossos Crânios Dominar!

Inominável Ser
NO NATURAL GUERREAR
DA DOMINANTE
E PREDOMINANTE
FILHA DO NATURAL
LILITH




Despertos Escravinhos Da Mamãe Lilith!


A Bandeira erguida,

Escravinhos!


A Espada erguida,

Escravinhos!


O Escudo erguido,

Escravinhos!


A Capa erguida,

Escravinhos!


A Cinta-Liga erguida,

Escravinhos!


O Corset erguido,

Escravinhos!


O Chicote erguido,

Escravinhos!


Os Pés erguidos,

Escravinhos!


Os Pés De Lilith

Beijai,

Escravinhos!


O Chicote De Lilith

Beijai,

Escravinhos!


O Corset De Lilith

Beijai,

Escravinhos!


A Cinta-Liga De Lilith

Beijai,

Escravinhos!


A Capa De Lilith

Beijai,

Escravinhos!


O Escudo De Lilith

Beijai,

Escravinhos!


A Espada De Lilith

Beijai,

Escravinhos!


A Bandeira De Lilith

Beijai,

Escravinhos!


Somos os

Escravinhos Dela,

Somos Escravinhos

Queridos Por Ela!


Somos Escravinhos,

Nós,

Os Filhos De Lilith,

Escravinhos Que Despertaram

Da Escravidão

Da Matéria!


Nossa Escravidão

Aos Pés Dela

É Liberdade Mais Sagrada

E Potência Das Putarias

Mais Consagradoras!


Somos Escravinhos,

Escravinhos De Lilith,

Orgulho Disso

Devemos Ter,

Orgulho Devasso,

Orgulho Profano,

Orgulho Profanador!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith me chuta

Aos Seus Pés!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith me chicoteia

Aos Seus Pés!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith pisa em mim

No chão frio do Fim!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith me obriga

A beijar-Lhe o Corset

Cheio do esperma de outros!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith me obriga

A beijar-Lhe a Cinta-Liga

Cheia do suor de outros!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith me obriga

A beijar-Lhe a Capa

Cheia da Lama Das Trevas!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith me obriga

A limpar-Lhe o Escudo

Cheio do Sangue Da Guerra!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith me obriga

A limpar-Lhe a Espada

Cheia do Sangue De Anjos!


Sou Escravinho

Dela!


Lilith me obriga

A beijar-Lhe a Bandeira

Cheia de Fezes Da Terra!


Sou Escravinho

Dela!


Não sou

Humilhado!


Não sou

Rebaixado!


Não sou

Desprezado!


Não sou

Destruído!


Não sou

Afugentado!


TODOS

OS ESCRAVINHOS

DE LILITH

SÃO OS QUE ESTÃO

DESPERTOS!!!


ESTOU

NATURALMENTE

DESPERTO!!!


ESTOU

NATURALMENTE

CENTRADO!!!


ESTOU

NATURALMENTE

ELEVADO!!!


ESTOU

NATURALMENTE

EVOLUINDO!!!


ESTOU

NATURALMENTE

CONTROLADO!!!


ESTOU

NATURALMENTE

REVOLUCIONANDO!!!


TODOS OS DESPERTOS

DO DESERTO

ASSIM GRITAM

NO SILÊNCIO DOS MUNDOS

TODOS POVOADOS

DE ADORMECIDOS

COMO ALGUNS

DE VÓS!!!


Sou

Escravinho

De

Lilith

Com

Muito

Orgulho.


Sou

Escravinho

De

Lilith

Com

Muito

Amor


Sou

Escravinho

De Lilith

Com

Muita

Razão.


Sou

Escravinho

De

Lilith

Com

Muita

Loucura.


Melhor do que ser

Escravinho

De uma suposta

Virgem Maria

Que ao final das contas

Não passa de uma

Rameira enrustida.


Inominável Ser

DESPERTO

ESCRAVINHO

DE

LILITH








A Iniciação De Todos Nos Impérios De Lilith


Todo livro de luxúria e de devassidão apresenta

uma origem na reação

de todos os envolvidos

na comilança de carnes em combustão

em momentos iniciáticos

nas Vias Da Carne


Todos lêem seus livros com propriedade

eu leio meu livro com propriedade

e dentro do meu livro de luxúrias infinitas

e dentro do meu livro de devassidões infinitas

há todos os capítulos

do Grande Livro De Lilith


Não penses tu

que é um livro fácil


Não penses tu

que é um livro difícil


Não penses tu

que é um livro possível


Não penses tu

que é um livro impossível


Não penses tu

que não pode ser

seu livro


Não penses tu

que pode ser

seu livro


Lilith é assim

É Uma Senhora Envolta Nas

Mutações Das Realidades E Dimensões

harmoniza e acarinha

espanca e humilha

doutrina e facilita

atrasa e corta

vai sendo Mãe Perfeita

Para Os Filhos Que Se Erguem

À Sua Frente E Às Suas Costas


No Livro Dela

não está escrita

a vossa foda diária

com um homem

ou com uma mulher


No Livro Dela

não está escrita

a foda da tua mãe

com o teu pai

que processou o vosso

carnal gerar


No Livro Dela

não estão os filmes

da pornografia

dos menores


No Livro Dela

não estão os contos eróticos

da Internet

todos umas bostas


No Livro Dela

não há o desejo

fácil


No Livro Dela

não há o desejo

mutilante


No Livro Dela

não há o desejo

rasante


No Livro Dela

não há o desejo

anulante


No Livro Dela

não há o puro

humano desejo

pois Ela não É

Humano Desejo


Livre-se das tuas infantis idéias

sobre o sexo

e sobre a necessidade da porra

da procriação humana

estúpida


Traces um círculo

Ela irá até este

para Iniciar-Te


Livre-se das imagens da sensualidade

de latrina e de lixões

das mulheres comuns que se despem

como imundas colinas sujas

de esterco e de vermes


Traces um círculo

Ela vai

Iniciar-Te


Livre-se dos anseios comuns por uma

inconstante foda

que apenas assombra as tuas energias

que melhor podem ser

manipuladas


Traces um círculo

Ela terá Prazer Eterno

em Iniciar-Te


O sexo comum

é uma leviandade


Traces um círculo

Ela irá Gozar

ao Iniciar-Te


O sexo comum

é uma monstruosidade


Traces um círculo

Ela irá Gemer

ao Iniciar-Te


O sexo comum

é uma destrutividade


Traces um círculo

Ela quer

Iniciar-Te


Inicia-Te Nela

Inicia-Te Na Mãe Lilith

Abandones A Humana Favela

Dos Ritmos Mortos

Do Sexo Comum


Penses em como seria

se a entrada de um pau

em um cu e em uma buceta

e em uma boca e entre seios

seria

através da

Iniciação De Lilith


Realizes

A Entrada Em Uma Buceta

Iniciaticamente


Realizes

A Entrada Em Um Cu

Iniciaticamente


Realizes

A Chupada De Um Pau

Iniciaticamente


Realizes

A Fricção Entre Seios

De Um Pau

Iniciaticamente


Realize-Se

Deixando-Se Penetrar Na Buceta

Iniciaticamente


Realize-Se

Deixando-Se Penetrar No Cu

Iniciaticamente


Realize-Se

Deixando-Se Ser Chupada

Ou Deixando-Se Ser Chupado

Iniciaticamente


Realize-Se

Deixando-Se Ser Roçada

Entre Os Seios

Por Um Pau

Iniciaticamente


QUEIRAS

A INICIAÇÃO

DE LILITH


SAIBAS

DA INICIAÇÃO

DE LILITH


OUSES

NA INICIAÇÃO

DE LILITH


CALE-SE

SOBRE A INICIAÇÃO

DE LILITH


Inominável Ser

INICIATICAMENTE

QUERENDO

SABENDO

OUSANDO

CALANDO-SE

SOBRE A INICIAÇÃO

DE LILITH