terça-feira, 14 de outubro de 2008

Um Peregrino Que Fodeu Em Um Cemitério Com Lilith


Um Cemitério,

Na madrugada seguinte

Á execução de mil cristãos

Pelo Império Romano,

Esteve em festa,

Não sei mais o ano,

Não sei mais nem se era

Um ano,

Sei apenas que sem as minhas

Vestes carnais

Estive naquele cemitério

Há séculos atrás.


É um Cemitério

Que se adianta

A todos os Cemitérios

Que aqui na Terra

Jamais existiram,

É um Cemitério

Onde se alimentam

De Almas Perdidas

Os Deuses Dos Ossos

E Das Carnes Humanas

Nos Túmulos Apodrecidas.


É um Cemitério

Que tem madrugadas festivas,

Como aquela madrugada

Na qual Lilith Nele dançava

E com os Deuses

E os Espíritos

Dos Que Se Perderam

Na Carne E Em Carne

Fodia.


Lilith dançava,

Lilith fodia,

Entreguei-me a com Ela

Dançar,

Entreguei-me a com Ela

Foder,

Como todos naquele Cemitério

Com Ela

Dançaram,

Como todos naquele Cemitério

Com Ela

Foderam.


Alguém Inominável

Foi o primeiro,

Eu já sendo um

Ser Inominável

Fui o último,

E,

De repente,

O Cemitério se calou

E Ele eu vi

Caminhar entre

Crânios quebrados

E pedaços de carne

Aos Abutres Dos Infernos

Oferecidos...


Eu O Vi...


Passos...


Eu O Vi...


Respeito por Ele...


Eu O Vi...


Abaixei a minha fronte...


Eu O Vi...


Todos abaixaram suas frontes...


Eu O Vi...


Lilith não abaixou

A Sua fronte

E desafiante se sentou

Acima de uma cruz

De sentidos rasantes

Nas Trevas daquele

Cemitério.


Aquele que vi,

Venerável Ser Maior,

Aproximou-Se Dela,

E,

Como estava com a cabeça

Encoberta por um capuz,

Retirou-o revelando

A Sua Alta Celestial

Beleza Eterna.


Seus cabelos esvoaçantes

Ao Negro Vento

Daquele Cemitério,

Castanhos como a terra,

E seus olhos azuis

E penetrantes,

Que me fizeram estremecer,

Pelo negro olhar de Lilith

Traduziram-Se Em

Alto Poder.


Sua túnica branca,

Humilde e sem brilho,

Acima de ossos foi jogada,

E Ele,

Nu e entre as pernas ativo,

Abraçou o quadril de Lilith,

Ajoelhou-se

E a Vulva chupou-Lhe.


Respeitosamente,

Eu e os outros assistimos

Ao encontro Daquele Alto Ser

Com Lilith,

O Encontro De Um Peregrino

Com Uma Peregrina,

O Encontro Do Cordeiro

Com A Serpente.


O Peregrino,

Com o respeito devido,

Chupou A Vulva De Lilith,

Uma chuva fina

De gotas negras

Caiu no Cemitério,

Lilith gargalhava

E sentia

Prazer Eterno.


A Peregrina

Acariciou os cabelos Dele,

Ergueu-O

E O fez penetrar-Lhe

Com o Alto Pau

Muito além de Sua

Vulva.


O Peregrino

Moveu-se em elegantes

Entrada se saídas,

A chuva ficou mais forte,

Eu e os demais

Negras velas por aquele

Cemitério

Acendemos com cada gota,

Era preciso iluminar

Aquele Momento Único

De Cósmico Encontro

Nas Trevas Astrais.


A Peregrina

Abraçou-O

Como a um

Irmão Perdido,

Eles beijaram-Se

E os Mundos todos

Encontraram-se por um momento

No Caminho Perdido.


O Peregrino

Queria mais beijar-Lhe

E foi correspondido,

Aumentando ao mesmo tempo

O ritmo da penetração

Que se aprofundava

E alcançando quase

O orgasmo pretendido.


A Peregrina

Ao Peregrino

Abraçou mais,

Empurrava-O com

Selvageria

E insaciável ritmo,

Os dois estremeceram,

O Cemitério,

Aquele Cemitério,

Um Cemitério,

Estremeceu,

Eu estremeci,

Todos estremeceram...


Negros Raios,

Negros Granizos,

Ácido,

Limo,

Lixo,

Fezes,

Vômitos,

Cuspes,

Naquele Cemitério

Cairam...


... O Orgasmo

Da Peregrina...


... O Orgasmo

Do Peregrino...


A Tempestade Do Abismo

Caiu naquele Cemitério,

Mas,

Nem A Peregrino

Ou O Peregrino,

Como eu e os demais,

Sujos ficaram.


As vestes limpas

O Peregrino vestiu

E o capuz envolveu-lhe

A cabeça.


Lilith cunprimentou-O

Apontando para

O Abismo.


O Peregrino cumprimentou-A

Apontando para

O Alto.


O Peregrino encaminhou-Se

Para fora daquele Cemitério,

Cujas danças e fodas

Foram retomadas.


Eu continuei a de longe fitar

A saída do Peregrino,

A lentamente caminhar

Como senhor humilde

Sabedor Do Início

E Sempre Início

Das Ondas Do Grande Mar.


O Peregrino

Que Naquele Cemitério Vi,

Venerável Peregrino

Que com Lilith fodeu,

É o Mestre Jesus,

Que com Lilith

Ainda fode

Pelos Caminhos De Zeegoth.


Inominável Ser

FODENDO COMO

UM PEREGRINO

EM UM CEMITÉRIO

COM A PEREGRINA

LILITH









Nenhum comentário: