terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Meu Verbo A Inventar A Vastidão Maior Do Grande Mar


Sou A Oferecida Do Império Da Sexualidade.


Ofereço A Receita Da Refeição Primeira.


Sou A Oferecida Do Sexo Com Verbalidade.


Ofereço A Ronda Da Satisfação Primeira.


Sou A Oferecida Do Verbo Que Se Encarna Total.


Ofereço A Sina De Querer Ser Mais Do Que Carnal.


Humanas, Descubram Nas Minhas Palavras O Caminho Verbal Inicial.


Humanos, Descubram Nas Palavras Entre As Pernas Das Suas Mulheres O Conjugar Verbal Inicial.


Deitei No Caminho Cósmico Do Um E Ergui-Me Serpenteando Pelo Verbo Creador.


Creadora Me Fiz Com O Veneno Das Outras Estâncias Do Verdadeiro Amor.


Creadora Me Fiz Envenenando Os Caminhos Do Falso Amor.


Creadora Me Fiz Nos Palácios Carnais Das Vidas Em Sensual Torpor.


Creadora Me Faço Nos Palácios Carnais Do Agora Que Captam A Essência Do Verbo Que Eu Sou.


Creadora Me Faço Atingindo A Aurora Carnal De Cada Corpo Em Atos De Sexo E Em Atos De Amor.


Creadora Me Faço Operando A Cirurgia Maior Nas Humanas Carnes Que Não Sabem Do Meu Verbal Amor.


Meu Verbo É A Carne Primeira.


Meu Verbo É A Carne Una.


Meu Verbo É A Carne Das Ruas.


Meu Verbo É A Carne Das Estradas.


Meu Verbo É A Carne Dos Leitos.


Meu Verbo É A Carne Dos Inventores Dos Demais Verbos Carnais

Desta Humanidade E De Todas As Humanidades.


Meu Verbo Anseia Pelo Vosso Verbo.


Meu Verbo Pica O Vosso Verbo.


Meu Verbo Rasteja Pelo Vosso Verbo.


Meu Verbo Enrosca-Se Em Vosso Verbo.


Meu Verbo Seduz O Vosso Verbo.


Meu Verbo Conquista O Vosso Verbo.


Meu Verbo Contrai Matrimônio Com O Vosso Verbo.


Conjugo Vossa Carne, Humana.


Conjugo Vossa Carne, Humano.


Quando Juntos Estais Em Vossos Leitos, Eu Sou Vossos Corpos Que Se Tornam Um Corpo.


Quando Juntos Formam O Casal, Eu Sou O Casal Formado Em Um Mundo Pronto.


Mundo Pronto Que É O Do Verbo Carnal.


Mundo Pronto Que É O Do Verbo De Minha Vulva.


Mundo Pronto Que É O Do Verbo Que Conjuga A Vulva Do Meu Ser.


O Mundo Do Verbo Carnal Eu Sou.


O Verbo Do Mundo Carnal Eu Sou.


A Carne Do Mundo Verbal Eu Sou.


A Carne Do Verbo Dos Mundos Eu Sou.


Junte-Se À Minha Carne, Mulher, Na Carne Do Teu Homem.


Junte-Se À Minha Carne, Homem, Na Carne Da Tua Mulher.


Juntos, Somos Lilith.


Junto A Vós, Eu Sou Lilith.


Junto A Vós, Eu Sou A Humanidade.


Juntos, Nós Somos A Humanidade.


Inominável Ser

NA MESMA

CARNE

EM VERBO

LILITH









A Invenção Do Vaginal Trono A Sempre Tudo Ocupar


Somando Todos

Os Tronos Da Terra,

Somando Todos

Os Tronos Dos Mundos,

Vosso Trono

É O Único Acima.


Lembrando De Todos

Os Impérios Da Terra,

Lembrando De Todos

Os Impérios Dos Mundos,

Vosso Império

É O Único Acima.


Sentada Tu Estás

A Observar,

A Observar Vossos

Tronos,

A Observar Vossos

Impérios.


Sentada,

Sorridente,

Soberanamente,

Tu Observas

Os Movimentos

Do Verbo Carnal.


Sábia,

Instigante,

Inventiva,

Vosso Ficar No

Eterno Trono Carnal

É Essencial.


Audaciosa Governante,

Vosso Domínio

Sobre cada pedaço

De humana carne

É total,

É Fundamental.


Habilidosa Diplomata,

Vosso Convívio

Com cada pedaço

De humana carne

É pacífico,

É Vital.


Eficiente Política,

Vossa Campanha

A favor dos encontros

De cada pedaço

De humana carne

É Elementar.


O Trono,

Vosso Eterno Trono

Do Verbo Carnal,

Assume Tudo,

Asume Todo,

É A Humana Carne.


O Trono,

Vosso Eterno Trono

Que Conjuga

O Verbo Carnal,

É O Homem Encarnado,

É A Mulher Encarnada.


O Trono,

Vosso Eterno Trono

Que Molda Verbos

No Verbo Carnal,

Inventa O Homem,

Inventa A Mulher.


Trono Da Serpente,

Vosso Trono

Do Verbo Que Tu

És,

Lilith Verbal,

Semente Do Homem.


Trono Da Serpente,

Vosso Trono

Do Verbo Que Tu

És,

Lilith Verbal,

Semente Da Mulher.


Trono De Verbos,

Trono De Verbos

De Verbos,

Trono Do Verbo

Do Verbo

Carnal.


Trono Da Carne,

Trono De Carne,

Trono Do Espírito

Da Carne,

Trono Da Alma

Da Carne.


Trono Do Esplendor

Carnal,

Trono Do Esplendor

Verbal,

Trono Do Esplendor

Creador Verbal Carnal.


Trono Sagrado

De Verbo Sagrado,

Trono Sagrado

Da Carne,

Trono Sagrado

Guia Da Humanidade.


Inominável Ser

GUIADO PELO

VAGINAL TRONO

DE

LILITH









A Invenção Da Vaginal Montanha Real Maior


Antes de cada

Morte

Minha,

Antes de cada

Ressurreição

Minha,

A cada

Orgasmo

Meu,

A cada

Orgasmo

Contigo,

Montanhista Serpentina

D'Alma Eterna

Minha,

Tenho fôlego

Para

Expressar

Em versos

A minha satisfação

Com a Vossa

Rubra

Montanhesa

Companhia.


És

A Única

Companhia Feminil

Minha.


É,

Lilith,

Tu És

A Ùnica,

Como em Tua

Vulva

Eu já dissera,

Como em Tua

Vulva

Eternamente

Direi.


Subo montanhas,

Montanhas

De

Prazer,

Montanhas

De

Sedução,

Montanhas

De

Safadezas,

Montanhas

De

Loucuras

As mais carnais,

Junto Contigo,

Amada Senhora

Das Montanhas

Do Grande Deserto!


Subo assim,

Com a delicadeza

De um amante

Que procura fazer

De sua

Eterna amada

Uma Senhora Alta,

A Senhora Alta

Que Tu És,

Lilith Das Alturas

Das Montanhas Férteis

Do Verbal Carnal

Poder,

Montanha Serpentina,

Montanha De Serpentes,

Montanha Do Veneno

Que Delicadamente

Assassina Carnes

Como A Minha

Carne

E Ressuscita Carnes

Como A Minha

Carne!


Uma montanha,

Lilith,

Uma montanha

É a Vossa

Maravilhosa posição

No Leito Das Eras,

Erguendo-se de bruços

Por entre

Os Leitos Das Esferas,

Lançando a Tua

Urina

Na Face Dos Deuses

E Na Face Das Deusas,

Lançando a Visão

Da Tua Vaginal Montanha

Para os Firmamentos

Do Tecido Da Criação

Aos Olhos Dos

Altos Povos

Do Verbo Carnal!


Montanha voraz,

Montanha atroz,

Montanha cafajeste,

Montanha formada

Pelas curvas

De Vosso corpo

De Serpentina Alvorada,

Corpo Acima

Do Corpo

De Todas As Deusas,

Corpo Acima

Do Corpo

De Todas As Mesas,

Corpo Acima

Do Corpo

De Todos Os Corpos

Diante Do Um

Que É

Um Corpo,

O Corpo!


Vaginal Montanha,

Vaginal Montanha,

Vaginal Montanha,

Alta Senda

Dos Montanhistas,

Montanhistas

Da Carne,

Montanhistas

Como eu,

Como eu

A procurar

Distante das

Medíocres

Humanas montanhas

A Montanha

Perfeita,

A Montanha

Definitiva,

A Montanha

Primeira,

Formada pela

Vossa Anatomia

Acima Da Anatomia

Da Criação

Inteira!


Escalo

Vossa

Montanha,

Escalo

Vossa

Anatomia,

Estudo

Vossa

Montanha,

Estudo

Vossa

Anatomia...


Bacharelado

De Montanhista

Da Carne!


Mestrado

De Montanhista

Da Carne!


Doutorado

De Montanhista

Da Carne!


Pós-Doutorado

De Montanhista

Da Carne!


Arquimestrado

De Montanhista

Da Carne!


Alto Sábio

Montanhista

Da Carne!


Iluminado

Montanhista

Da Carne?


Será

Que chego

Lá,

Lilith,

No Topo

Da Vossa

Sublime Alta

Montanha

Que Do

Grande Deserto

Se Expande

Pela Criação

Toda

De Verbais Carnais

Montanhas,

Vossa Ascendente

Invenção?


Ah,

Eu ainda

Tenho muito

A Escalar,

Vai demorar,

Talvez,

Talvez,

Talvez,

Eu chegue

Lá...


Inominável Ser

ESCALANDO

A VAGINAL MONTANHA

DE

LILITH









A Invenção Da Vaginal Viagem Inicial


Eremita Da Carne,

Suposto Iluminado

Pela Carne,

Uma invenção

De uma mente devassa

Como a minha,

Uma invenção

De uma mente libertina

Como a minha,

Uma invenção

De desejos ocultos

Que se revelam firmes

Em sua sinceridade,

Uma invenção

De Desejos Em Verdade

Que materialmente

Realizo na poética

De libertina devassidão

Poética,

Uma invenção de escape,

Não,

Escape não,

É uma invenção,

Concluindo,

De destinos novos

Para a minha

Carnal expressão!


Eu viajo demais,

Não,

Lilith?


Ou eu viajo

De menos,

Lilith?


Ou minhas viagens

São muitas,

Lilith?


Ou minhas viagens

São poucas,

Lilith?


Ora,

Eu sou um viajante,

Um viajante,

Um cara não-fixo,

Um Eremita mesmo,

De destino impossível,

De destino quase

Possível,

Em busca da Vossa

Cidade,

A Vossa Cidade

Reunida toda

Na abertura vaginal

Tão entusiasmante

Que me chama...


Que me chama...


Que me chama...


Que me chama...


Que me chama...


Que chama...


Que chama...


Que chama...


Que chama...


Meu cajado vai batendo

Nas paredes

De um quarto sujo,

Tem lama,

Tem sangue,

Tem muito sangue

E também tem

Muito esperma,

Minha lama,

Tua Lama,

Meu sangue,

Teu Sangue,

Meu esperma,

Meu esperma,

Meu esperma,

TEU ESPERMA!


O quarto vagabundo,

O quarto parecido com

O de um bordel

Do centro do Rio,

Tem um quê

De viagem para

Um interior devastador

Repleto de homens

Como eu

Que se fazem

Eremitas Devassos,

Eremitas Libertinos,

Eremitas Do Breu

Lascivo...


Cinco dias,

Cinco noites,

De viagem,

Lilith,

E Tu me faz

Viajar mais,

Mais cinco

Dias,

Mais cinco

Noites,

Eu circulo,

Eu sou círculo,

Eu invento

Meu círculo,

Meus ciclos me levam

A outros quartos,

Todos Vossos

Quartos...


Eu viajo...


Eu viajo...


Eu viajo...


Eu viajo...


Vago...


Vago...


Vago...


Vago...


Um espaço vago

Em Leito Vosso,

Lilith,

Este Eremita

De nenhuma beleza

E de nenhuma riqueza

No banco,

Desprovido de ambições

As mais materiais,

Movido pela incessante

Vontade Maior

De mais Encontar-Te,

Encontra,

Eu deito assim

Contigo,

Tu estás

De ladinho,

Meu cajado

Prontinho,

Cinco viagens,

Cinco dias,

Cinco noites,

E o descanso

Muito mais do que

Merecido...


Curvado...


Curvado...


Curvado...


Curvado...


Sossegado...


Sossegado...


Sossegado...


Sossegado...


Sou tão idoso,

Um Eremita

De trinta e um mil

E dois anos

De idade,

Broxa com

As humanas mulheres...


Mas,

Lilith,

Tu Sabes que

Contigo

Eu sempre dou

No couro

Com muitas

Viagens...


Inominável Ser

EREMITA VIAJANTE

EM BUSCA INCESSANTE

DA

VAGINAL VIAGEM

INICIAL

DE

LILITH