terça-feira, 27 de janeiro de 2009

A Invenção Da Vaginal Viagem Inicial


Eremita Da Carne,

Suposto Iluminado

Pela Carne,

Uma invenção

De uma mente devassa

Como a minha,

Uma invenção

De uma mente libertina

Como a minha,

Uma invenção

De desejos ocultos

Que se revelam firmes

Em sua sinceridade,

Uma invenção

De Desejos Em Verdade

Que materialmente

Realizo na poética

De libertina devassidão

Poética,

Uma invenção de escape,

Não,

Escape não,

É uma invenção,

Concluindo,

De destinos novos

Para a minha

Carnal expressão!


Eu viajo demais,

Não,

Lilith?


Ou eu viajo

De menos,

Lilith?


Ou minhas viagens

São muitas,

Lilith?


Ou minhas viagens

São poucas,

Lilith?


Ora,

Eu sou um viajante,

Um viajante,

Um cara não-fixo,

Um Eremita mesmo,

De destino impossível,

De destino quase

Possível,

Em busca da Vossa

Cidade,

A Vossa Cidade

Reunida toda

Na abertura vaginal

Tão entusiasmante

Que me chama...


Que me chama...


Que me chama...


Que me chama...


Que me chama...


Que chama...


Que chama...


Que chama...


Que chama...


Meu cajado vai batendo

Nas paredes

De um quarto sujo,

Tem lama,

Tem sangue,

Tem muito sangue

E também tem

Muito esperma,

Minha lama,

Tua Lama,

Meu sangue,

Teu Sangue,

Meu esperma,

Meu esperma,

Meu esperma,

TEU ESPERMA!


O quarto vagabundo,

O quarto parecido com

O de um bordel

Do centro do Rio,

Tem um quê

De viagem para

Um interior devastador

Repleto de homens

Como eu

Que se fazem

Eremitas Devassos,

Eremitas Libertinos,

Eremitas Do Breu

Lascivo...


Cinco dias,

Cinco noites,

De viagem,

Lilith,

E Tu me faz

Viajar mais,

Mais cinco

Dias,

Mais cinco

Noites,

Eu circulo,

Eu sou círculo,

Eu invento

Meu círculo,

Meus ciclos me levam

A outros quartos,

Todos Vossos

Quartos...


Eu viajo...


Eu viajo...


Eu viajo...


Eu viajo...


Vago...


Vago...


Vago...


Vago...


Um espaço vago

Em Leito Vosso,

Lilith,

Este Eremita

De nenhuma beleza

E de nenhuma riqueza

No banco,

Desprovido de ambições

As mais materiais,

Movido pela incessante

Vontade Maior

De mais Encontar-Te,

Encontra,

Eu deito assim

Contigo,

Tu estás

De ladinho,

Meu cajado

Prontinho,

Cinco viagens,

Cinco dias,

Cinco noites,

E o descanso

Muito mais do que

Merecido...


Curvado...


Curvado...


Curvado...


Curvado...


Sossegado...


Sossegado...


Sossegado...


Sossegado...


Sou tão idoso,

Um Eremita

De trinta e um mil

E dois anos

De idade,

Broxa com

As humanas mulheres...


Mas,

Lilith,

Tu Sabes que

Contigo

Eu sempre dou

No couro

Com muitas

Viagens...


Inominável Ser

EREMITA VIAJANTE

EM BUSCA INCESSANTE

DA

VAGINAL VIAGEM

INICIAL

DE

LILITH









Nenhum comentário: