segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

A Invenção Do Quadro Maior Da Vaginal Realidade


Vejo isso,

Sinto isso,

Ventos,

Sentidos,

Um pincel,

Um artista,

Pintor,

Quadro...


Vejo o quadro,

Os ventos...


Sinto o pincel,

Os sentidos...


Vejo o artista,

O pintor...


Das rotas artísticas

Mais delicadas,

Das ruas artisticamente

Moldadas,

Sou um delicado pintor

Moldador de uma

Obra rica de trajetórias

Representativas da Tua

Pintura Eterna

De Eternas Pinturas

De Eternos Estilos

Da Cósmica Pintura.


O quadro vou realizando,

Lilith,

Os Ventos Proibidos

Batem aqui em minha

Nuca,

O espaço é muito,

A casa toda fica

Inundada de tinta,

A tinta que é

O esperma deitado

Por mim

Na aquarela...


O quadro,

Eu vou realizando o quadro,

Modelo Lilith,

Os Sentidos Proibidos

Pulsam em rompantes

E explosões

Que abrem as Portas Proibidas,

As Chaves ponho

Nas gotas de esperma

Com as quais umedeço

A ponta do pincel

Na aquarela...


As minhas mãos,

Lilith posando

Para o meu estúdio

De obras raras,

Pousam no painel

Todo preenchido

De pinturas as mais

Antigas,

De pinturas as mais

Modernas,

De pinturas as mais

Futurísticas,

Meu pincel traça

Um novo quadro nele,

Cada gota de esperma

Sendo utilizado

Com carinho

E com cuidado

Ao pousar no espaço

Que está em branco,

A partir do umedecer

Na aquarela...


Os meus dedos,

Lilith das poses

Para quadros de requintes

Todos variáveis,

Envolvendo o pincel,

Fazem um percurso

Definindo infinitas

Linhas de criatividades,

Sou do Surrealismo,

Sou do Romantismo,

Sou do Barroco,

Sou do Maneirismo,

Sou do Contemporâneo,

Sou um pintor

De todos os estilos

Da Terra

E de todos os estilos

Fora da Terra,

Minha mente se abre

Para pinturas

Que escapam da maioria

Que se diz artista

Na Terra

E fora da Terra,

O pincel apresenta-me tudo

Através da cor

Do meu esperma

Presente como tinta

Na aquarela...


O meu quadro,

Lilith há muito pintada

Pelos maiores artistas

De todas as Esferas,

Está sendo pouco

A pouco

Moldado,

É uma invenção

De delicada estrutura,

É uma invenção

De delicada conjuntura,

Um quadro interminável

Iniciado em

Várias Existências

Anteriores minhas

Em Tua Única Existência,

Invenção artística

Do meu esperma

Na aquarela

Preenchendo o painel

Da Vossa vagina...


Inominável Ser

PINTANDO

QUADRO QUE

ETERNAMENTE

INVENTA

NA VAGINA DE

LILITH









Nenhum comentário: