segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Teu Suave Belo Repouso No Envenenante Leito De Todas As Sedutoras Serpentes


Em um dia de suavidade,

eu Te vi deitada...


Em um dia de serenidade,

eu Te vi deitada...


Em dia de tranqüilidade,

eu Te vi deitada...


Em um dia de nobílissima

docilidade,

eu Te vi deitada...


Em um dia,

Te vi deitada...


Te vi deitada,

deixei-A adormecida,

não a incomodei

na bela forma

na qual Tu

estavas...


Tu estavas adormecida...


Tu estavas adormecida...


Tu estavas adormecida,

Lilith,

e a Vossa respiração lenta

me seduzia...


Tu estavas adormecida,

Lilith,

e o balanço de Vossas ancas

me seduzia...


Tu estavas adormecida,

Lilith,

e o vai-e-vem de Vossos seios

me seduzia...


Tu estavas adormecida...


Tu estavas adormecida...


Tu estavas adormecida,

Lilith,

sonhando talvez

com as aventuras Vossas

pelos Tempos,

sonhando talvez

com as fodas Vossas

pelos leitos,

sonhando talvez

com o rastejar Vosso

pelo Grande Deserto...


O que podemos saber

de Vossos Sonhos,

Lilith?


Qual ser humano

poderia decifrar

os Vossos Sonhos,

Lilith?


Qual Vampiro

poderia decifrar

os Vossos Sonhos,

Lilith?


Que Sonho

Da Grande Serpente

Que Tu És

Pode Ser Decifrado,

Lilith?


Qual Sonho

Da Grande Serpente

Que Tu És

Pode Ser Decifrado,

Lilith?


Não sou arrogante

de dizer

que Tu sonhavas,

Lilith,

naquele dia,

Serpentino Dia Noturno,

comigo...


Não posso dizer...


Não,

Lilith,

não tenho a arrogância

disso dizer...


No entanto,

eu me aproximar devagar

de Vosso Leito

De Eternas Sedas E Sendas,

para te ouvir balbuciar

antigos nomes

de antigos seres

de antigos leitos

e antigas sendas...


Me aproximei devagar...


Me aproximei devagar...


Me aproximei devagar,

Lilith,

e ouvi os nomes

que eu tive

em Existências passadas

serem balbuciados

pelos Vossos

adormecidos lábios...


Ouvi de Vossos

adormecidos lábios

os meus nomes...


Ouvi de Vossos

adormecidos lábios...


Ouvi de Vossos

adormecidos lábios...


E,

depois,

Lilith,

não ouvi mais nenhum

nome meu

de Vossos Lábios,

e o Vosso adormecido

silêncio

passou a pronunciar

os nomes meus

que foram meus

em Outros Espaços...


Eu Te ouvia...


Eu Te ouvia...


E olhava para vosso

adormecido corpo

que meus despertos olhos

beijavam...


Inominável Ser

DESPERTO

OLHANDO QUANDO

TEM CHANCE

PARA A ADORMECIDA

EM SEU LEITO

LILITH









Nenhum comentário: