terça-feira, 14 de abril de 2009

O Negro E O Rubro Da Luxúria Que Me Encontra


Em meio ao banho de sangue

que escorre dos meus

dedos

a tingir-me a pena de tantas

palavras e versos

sangrentos e antigos,

surge,

como há muito haveria

de surgir,

uma luxúria assim

que me transporta

para os Vossos carinhos

mui queridos

envoltos todos nos pêlos cheirosos

de Vossa mágica

vulva abençoada.


Em meio ao meu derramar de sangue

que cava raízes profundas

em minha consciência

de imortal travestido

de passageiro humano,

Lilith,

venho a Te permitir chegar

ou Tu invades meu tumular lar

cheia de venenos

que adoro saborear

em cada um dos pêlos

de Vossa vulva

a me maravilhar?


Meios,

sempre os meios,

meios como os meios

do Vosso cu

me fazerem refletir animado

acerca do Existir

e do Não-Existir

das demais mulheres

deste mundo aqui

de infeliz gente

que na maioria das vezes

Te condena

por não Te Conhecer

we Te Conhece apenas

para Te condenar...


Meios de encontro

com alguma mulher aqui,

uma humana qualquer

ou qualquer humana cuja

buceta e cu possam

esquentar os meus

quinze meios de alívio

entre as minhas pernas,

taisd mewios falharam

e nem tenho a vontade

de voltar a encarar

um humano feminil rabo

ou uma humana xana...


O Negro

cai aqui em meu colo,

O Rubro

escancara-se todo em meu rosto,

tão limpo das imundas

que caminham pelas ruas

me sinto,

Lilith,

as cores são outras,

mas predomina em meus meios

de ser um amante

da Vossa Negra Rubra Vulva

a dedicatória do meu esperma

quando cai em meus pêlos

e nos Vossos pêlos

desenvolvendo uma descida

até o Vossos ventre

povoado de filhotes de serpente.


Minhas negras vestes,

estou em luto por não Te ter

aqui materialmente...

Minhas rubras lágrimas,

estou choroso por não Te ter

aqui materialmente...

No Negro Dos Dias,

No Negro Das Noites,

no entanto,

Tu vens a ser uma Presença

bem constante...

No Rubro Dos Dias,

No Rubro Das Noites,

Tu vens a ser uma Esposa

e uma Amiga

e uma Mãe

que sinto bem perto

a cada bater da sola

dos meus pés

no imundo humano solo...

O Negro,

O Rubro,

uma luxúria em chamas

dourando meus instintos,

dourando meus sentidos,

eliminando as lembranças

de qualquer puta humana

de rua ou de família,

fazendo com que cada vez mais

se afirme em minha

pele escravizada pela materialidade

a certeza de que Tu és

Aquela Que Eu Sempre Procurei,

Aquela Que Eu Sempre Desejei,

A Única Que Comigo Se Importa,

Lilith.


No Negro,

A Afirmação.

No Rubro,

A Afirmação.

Em mim,

a mais negra rubra

luxuriante emoção.


Inominável Ser

ENCONTRANDO

A NEGRA RUBRA LUXÙRIA

DE

LILITH








Nenhum comentário: