segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Passos Definidos Pelo Caminho E Pelo Descaminho


Há algo em mim que fala do silêncio. Há algo em mim que fala da minha angústia pela solidão proporcionada pelo silêncio. Não há festas para mim, amigos foram embora, familiares se afastaram, amadas... Amadas? Que amadas? Amadas Noturnas Inomináveis, já que as materialmente ao meu alcance não estão, não estarão, nunca estiveram, em meus gélidos braços... E uma Amada... Qual Amada? Lilith, A Primeira Das Amadas Noturnas Inomináveis minhas... Lilith, Este Sonho, Este Pesadelo, Este Delírio, Este Encontro: Uma Verdade Ou Uma Mentira? Estes passos que ouço agora... São Verdadeiros? São Mentirosos?



A Verdade,

qual a vestimenta

da Verdade

aos olhos dos seres?


A Mentira,

qual a investida

da Mentira

n'almas dos seres?


De todas as sinfonias,

a dos passos

Daquela Que Sibila

são as maiores.


O solo estremece,

as ondas de mares invisíveis

em meu redor

agitam-se em febres.


Eu nado silencioso

no recanto meu de versos

nascidos dos meus

cansados poéticos pés.


Na posição de lótus

poetizo ouvindo Aquela,

com passos dançarinos,

ruidosamente se aproximando...


Verdadeira...

Mentirosa...

Homicida...

Caluniosa...


Faceira...

Rameira...

Hipócrita...

Amiga...


Traidora...

Fiel...

Ambiciosa...

Humilde...


Orgulhosa...

Pacífica...

Arrogante...

Guerreira...


Devassa...

Santa...

Genuína...

Falsificada...


Sim...

Não...

Talvez...

Quem sabe...


O que em Ti

representa

uma Verdade,

Lilith?


O que em Ti

representa

uma Mentira,

Lilith?


Tu És

Uma Verdade

mesmo,

Lilith?


Tu És

Uma Mentira

mesmo,

Lilith?


Repitas Meus Passos,

Inominável Poeta

E Amante

E Amigo

E Filho,

E Juntos Descobriremos

Como Eu Caminho

E Não Caminho

Pelos Campos Dos Sentidos

E Onde Não Há

Sentidos.

Ouça O Barulho

Que Com Meus Pés

Faço...

Quem Tumultua Assim

Este Mundo De Barro?”


A resposta minha

é uma Verdade,

a resposta minha

é uma Mentira...


Mas,

Lilith,

como toda mulher,

não gosta de ser decifrada...


Inominável Ser

NÃO MAIS

TENTANDO

DECIFRAR

LILITH








Nenhum comentário: