segunda-feira, 22 de março de 2010

Entre As Sedes Da Perfeita Harmonia Fodedora


Construções

de sedes...


Sedes para

Te chupar...


Sedes para

chupar

Tua buceta

ao negro luar...


Sedes para

chupar

Teu cu

ao interno luar...


Sedes para

explorar

toda a interioridade

de Tua buceta

com a língua

minha molhada

de saliva...


Sedes para

explorar

toda a interioridade

de Teu cu

com a língua

minha molhada

mais ainda

de saliva...


Construo

sedes,

Lilith...


Construimos

sedes,

Lilith...


A loucura da cama

nossa

permite a clareza

da construtiva

melhor forma

de fodermos

como pedreiros

construtores

de moradas

tórridas...


Tijolos,

nossos suores...


Cimento,

nossos beijos...


Colunas,

meu pau enfiado

na buceta Tua...


Telhado,

meu pau enfiado

no cu Teu...


A morada pronta,

a porra que explode

na Tua cara

de construtora puta

ordinária!


Pedreira

safada!


Pedreira

vadia!


Pedreira

arrombada!


Cidade,

A Volúpia.


País,

A Volúpia.


Civilização,

A Volúpia.


Na escuridão

permitida

pelas sombras

de nossos corpos

no quarto enegrecido

cheio de odores

vivíssimos,

Lilith,

mundos formamos

da matéria que

nasce

de nossos gozos

esparramando-se

pelo chão

todo de areia

do

Grande Deserto...


Inominável Ser

PEDREIRO

DAS MORADAS

DE LILITH










Nenhum comentário: