segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Melodia De Tua Carne Em Descompostura


Componho uma finíssima música

que toca bem fundo

nas paredes bem lá dentro

da Tua buceta,

fodo Contigo

como

Apocalíptica Besta,

fodo Contigo

como

Lupino Vagabundo,

fodo Contigo

como

Leonino Devorador,

fodo Contigo

como

Serpentino Abusador!


Abuso da Tua buceta,

indo lá

no profundo do fundo

dela,

remexendo com cuidado,

igual a um equilibrista

tarado

metendo no meio

da malabarista safada,

saltando entre os precipícios

de tua carne,

indo cair no abismo,

o mais desejado abismo

do que está Além

de Tua carne!


Estou me esforçando,

os versos saindo,

a tristeza está

forte...


A tristeza,

esta amiga minha

que é uma Deusa

que não me abandona...


A Deusa Tristeza,

horrível vagabunda,

prostituta bisonha

que me assombra!


Tira-me a tristeza,

Lilith,

com o rebolado

de Teus quadris!


Tira-me a tristeza,

Lilith,

com o sugar

da Tua buceta!


Tira-me a tristeza,

Lilith,

com o calor

da Tua carne!


Tira-me esta tristeza,

Lilith,

cante comigo

está Música Da Carne!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Me empurra

para dentro,

Lilith!


Para dentro de Tua

carne,

para dentro de Tua

alegria,

para dentro de Tua

Vida,

dê-me felicidade,

pelo menos,

por uma noite

ou alguns segundos

de qualquer noite

desta minha merda

de triste carnal vida...


Inominável Ser

MELODICAMENTE

PUXANDO

LILITH







Nenhum comentário: