terça-feira, 5 de outubro de 2010

A Descoberta De Uma Plácida Tórrida Terra



Geralmente fico a olhar
para uma buceta
com um olhar crítico
a medir a certeira
simetria de uma beleza
que a dita buceta
forma com a bunda
mais suculenta
delineada por curvas
explosivas
e no meio escancarada
pelo meio do cu
cheiroso
que pede a penetração
do que for pontudo
e grosso

Geralmente é assim
a minha fascinação
como safado poeta
ficar a admirar
a artística moldura
da Tua buceta,
da Tua bunda
e do Teu cu,
Lilith,
sou um artista
de natureza libertina
exaltando a carne
que abunda
nas estâncias infindas
das tórridas terras
que se apresentam
em redor de seus
quadris firmes
e derrubadores
de reinos e impérios
e governos presidenciais

Geralmente abundante
é a placidez bem tórrida
da visualização
de Tua tórrida buceta
que é uma jóia
que nem mesmo existe
no corpo de qualquer
das fêmeas
deste e de outros
planetas

Geralmente abundante
é a placidez calidamente
muito tórrida
da visualização
de Tua bunda volumosa
que supera toda
bunda das humanas
deste e de outros
planetas

Geralmente abundante
e muito mais placidamente
tórrida
é a visualização
da Tua buceta
a formar um conjunto
de maravilhosa arquitetura
unindo em uma obra
de belíssima arte
a Tua Vulva
e cada um dos Teus
lábios vaginais
bem mais decididos
a serem inesquecíveis
do que os de qualquer
buceta
das mulheres
deste e de outros
planetas

Geralmente
minha língua tece
plácidos tórridos
elogios
à Tua buceta

Geralmente
meus lábios tecem
plácidos tórridos
romances
com a Tua bunda

Geralmente
meus dedos regem
plácidas tórridas
orquestras
dentro do Teu cu

Realmente
é uma tórrida terra
na qual vivo
na abundância de um
plácido inebriante
ardor

Inominável Ser
NA PLÁCIDA
TÓRRIDA TERRA
DE LILITH

Nenhum comentário: