quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Manejando Toda Prisão Que Faz Gozar


Há princípios que capturam-me a já tão acostumada consciência minha com a corrupção advinda dos baixos instintos. Dou alguns saltos, tramo alguns obstáculos, ultrapasso outros descaminhos e descubro, ferido e angustiado, atormentado e solitário, os meus mais altos instintos. Eu hei de sucumbir um dia ou eu hei de me erguer um dia diante dessas minhas descidas e subidas pelos caminhos desconsiderados pela medíocre humana maioria? Por que irrompo com tanta ânsia e vontade pelos caminhos que poucos podem trilhar com seriedade e sobriedade? Não pratico nenhum tipo de feitiçaria, não sou mago negro e nem ocultista... Sou apenas um homem, apenas um escritor, apenas um poeta, homem e escritor e poeta que ao mundo Te revelou como A Manejadora Da Carne Dos Grandes E Dos Pequenos Da Terra, Lilith. Ah, não quero ser rico, não quero ter o meu cu cheio de grana, merda facilmente queimável em fogueiras tamanhas! Fama? Não, a fama não é a minha meta! A Eternidade é a minha meta, sou póstumo desde sempre, escrevo para todos os tempos, não sou de nenhum tempo e ESCREVER E POETIZAR É O GRANDE PRAZER DO MEU IMENSO INOMINÁVEL INTERIOR LAR ACIMA E ALÉM DO PRÓPRIO TEMPO!!! Melhor assim, tudo posso manejar...



A carne,

uma prisão:

impossível resistir

aos seus grilhões,

correntes e cadeados

inquebrantáveis

cheios de ostensivas

soluções.


A carne,

nossa prisão:

temos que foder,

nascemos para

foder,

crescemos para

foder,

eis a nossa condição.


A carne,

sua prisão:

tu, aí,

libertina e libertino,

és um prisioneiro

da tua própria carne,

dome-a,

conquiste-a...


A carne,

minha prisão:

sou domador

da minha carne,

não resisto ao

prazer,

eu faço o que

tenho a fazer...


Lilith ou A Carne,

A Grande Domadora

Nossa,

Humanidade,

inegável como

Matriarca,

afirmável como

Libertadora.


Qual Manejadora

de grande estirpe,

Ela ensina sábia

a considerarmos

nossa carne

sem travas,

sem traumas,

sem pesadas cargas.


Manejando-nos com

suprema sabedoria,

Lilith Sabe

nos ensinar

o verdadeiro sentido

de todo carnal

chamado

a nos incinerar.


Prisioneiros todos

nós somos,

prisioneiros desta

efêmera carne,

mas,

O Espírito Do Deserto

A Sibilar

nos liberta...


E nós,

em Espírito,

no Espírito,

O Espírito Natural,

somos apenas

vontades determinadas

pela Grande Vontade

Eterna...


Somos Deuses...

tu és uma Deusa...

tu és um Deus...

eu sou um Deus...

Carne E Espírito:

Nesta União,

O Segredo Do Sibilar...


Inominável Ser

EX-PRISIONEIRO

LIBERTADO POR

LILITH


Nenhum comentário: