segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Das Muitas Histórias Que Se Contam




Desde as épocas
de tacapes e pedras,
histórias sobre Ti
são contadas.

Tu És desde as
mais remotas
e inesquecíveis épocas
para todos os Imortais.

Desde os tempos
mais distantes
e mais imemoriais,
Tu És Aquela Que É.

Fêmea,
Grande Fêmea,
Mãe e Mulher minha,
dai-me do Vosso Vinho!

Quero beber do Vinho
Da Serpente Primeira,
O Vinho Da Eternidade,
O Vinho Da Liberdade!

Beber do Vosso Vinho,
Lilitu Ramoh'ash,
é como sonhar sempre
com a Única Origem...

Eu sonho...
Contigo...
Eu sonho...
Com A Unidade...

Tu tens histórias
acerca da Unidade,
a Mão Direita Tu desces,
a Mão Esquerda Tu ergues.

Ouço Tuas histórias,
Ouço todas elas,
Única Serpente,
Única Fêmea...

Histórias douradas...
Histórias enriquecidas...
Histórias loucas...
Histórias suicidas...

Doura História Serpentina...
Rica História Serpentina...
Louca História Serpentina...
Suicida História Serpentina...

E a melhor história
que tenho Contigo
é a da minha pica
dentro do Vosso cuzinho...

Inominável Ser
ALUNO DA
HISTORIADORA
LILITH

Nenhum comentário: