segunda-feira, 9 de setembro de 2013

De Uma Certeza Que Me Define




Tenho tido sonhos,
sonhos dos mais longos,
rastros de desejáveis campos
cheios de altos encantos.

São sonhos de labaredas,
cada labareda sendo certeza,
cada certeza senhora realeza,
realeza de tronos e mesas.

O que me aguarda
do outro lado d'água
do Rio Dos Sonhos
sem nenhum assombro?

Quem me guarda
do fio da maldita espada
que fica dependurada
sobre a minha coroa sagrada?

Quem me aguarda
no Palácio Do Amor,
cheia de rosas e calor,
cheia de perfume e sabor?

O que me guarda
do perigo da selva,
a selva dos apequenados,
a selva dos mediocrizados?

Ela sorri e me beija.
Ela sorri e me abraça.
Ela sorri e me enlaça.
Ela sorri e me morde.

Eu choro no colo Dela.
Eu choro entre os seios Dela.
Eu choro entre as coxas Dela.
Eu choro aos pés Dela.

Sorridente,
Ela não me deixa doente,
Ela não me deixa sozinho,
Ela não me abandona.

Chorando,
escrevendo estes versos
entre a imundície da Terra,
uma certeza me exalta:

Lilith me aguarda,
Lilith me guarda,
Lilith de mim Se agrada,
Lilith de mim Se felicita.

Ela sorri.
Eu choro.
Ela gargalha.
Eu a chupo na buceta...

Inominável Ser
CHORANDO
E FODENDO
COM LILITH





Nenhum comentário: