terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Tudo Foi Assim Em Sodoma E Gomorra



Vou Contar Uma História, Nascida Do Requebrado Dos Meus Quadris Em Meio A Um Monte De Fodas. Tal História Inunda Os Mais Vastos Campos Da Minha Glória E É A Absoluta Engenhosidade Da Minha Era, Da Minha Aurora. É A História Do Dia Em Que O Homem E A Mulher Não Mais Existiram Como Os Únicos Na Face Da Terra. E Também O Terceiro Sexo Não Continuou Sendo Apenas O Único Gênero Exótico Na Matéria Terrestre Cheia De Outras Ocultas Fodas. É A História Dos Nascimentos De Um Gênero Eterno, Um Gênero Incisivo, Um Gênero Mais Curioso Do Que Todos Os Três Gêneros Conhecidos. É A História Do Dia Em Que A Luz Fez-Se No Nascimento Do Primeiro Macho Com Alma De Fêmea Que Não Deixava De Ser Macho. É A História Dos Que Hoje Não São Compreendidos E São Até Assassinados. É A História Do Quarto Sexo, O Subjugador Sexo Que Todo Hetero Quer Provar Pelo Menos Uma Vez Na Existência. Vocês, Homens, Mulheres, Gays E Lésbicas Não São Os Únicos A Serem Meus Filhos. Eu Tenho No Quarto Sexo Também Filhos, Sou Mãe Dos Que Vós Chamais Com Nomes Vulgares E Cheios De Escárnio, Desprezo, Nojo E Atração, Ao Mesmo Tempo. Por Mim, Eles São Tão Amados Quanto Vós, Não Vejo Diferenças, Apenas Semelhanças Entre Vós. E Tudo Começou Em Sodoma E Gomorra, Minhas Cidades Amadas, Minhas Filhas Arrasadas Pelo Maldito Iaveh! Tudo Começou Nas Primeiras Cidades Minhas E Continua Ocorrendo Nesta Era Que É Minha! A Era Na Qual O Sexo Move Toda Carne, Em Todas As Idades! E Este Mundo Virtual Escravocrata De Almas É O Meu Império Contemporâneo! Eu Estou Viva Em Todo Gênero! Eu Estou Viva No Quarto Sexo! Falai, Inominável Poeta Filho Meu, Dos Tempos De Sodoma, Dos Tempos De Gomorra E Do Que Jaz Na Memória De Toda A Terra!


Eram danças
que faziam
profanos milagres
em todas as carnes.

Eram músicas
que faziam
todos se tornarem
os animais
mais selvagens.

Criaturas dos Submundos
sedentas de sangue
e sêmen
rondavam todas
as moradias.

Íncubos e Súcubos
nasciam
nos gozos pervertidos
e perversos
dos moradores.

Na Sodoma daqueles
tempos,
na Gomorra daqueles
tempos,
nasceu O Quarto Sexo.

O homem tornado
externamente mulher,
a mulher que surgia
tinha ainda
a jóia entre as pernas.

Os machos buscavam
O Macho-Fêmea,
A Fêmea-Macho,
abriam as bocas,
rebolavam os rabos.

As bocas engoliam
paus duríssimos,
os rabos recebiam
paus rechonchudos,
homens viravam bonecas.

Nas esquinas de Sodoma
e Gomorra,
em cada esquina,
Anjos e Fadas e Deuses
sodomizados!

Sodomizados pelos
Serpentinos Do Quarto
Sexo,
atraindo a todos
pela Beleza Nova!

Beleza Nova,
A Beleza rara,
Beleza de sedutoras
ninfas viris
esfomeadas!

Esfomeadas,
humilhando homens,
enrabando homens
e realizando masculinas
fantasias!

Fantasias amigas
da devassidão
mais genuína,
da safadeza mais
gratuita!

Gratuidade gerando
liberdade,
liberdade atraindo
a inveja dos
Divinos Escravizadores!

Divinos Assassinos,
queimando Sodoma,
queimando Gomorra,
Serpentinas Cidades,
Saudosas Cidades!

Mas,
mesmo destruídas,
Sodoma e Gomorra
continuaram na Terra,
continuaram sibilando…

Milênios passaram,
milênios queimados,
e hoje os mesmos
Machos-Fêmeas-Machos
ainda caminham!

Caminham preenchendo
masculinos rabos,
masculinas bocas,
todo homem sonha ser
por elas possuído!

Todo homem
como você,
leitor no armário,
não fuja da raia,
não esconda seu rabo!


Queimadas Foram Minhas Cidades, Mas Meus Filhos Não Ficaram Órfãos. Continuei Com Eles Em Outras Paragens, Revestindo-Os Com O Meu Veneno, Vestindo-Os Com A Minha Roupagem. Encarando Iaveh E Seus Cães, Continuei Desafiando A Natureza E Venci A Todos Nas Passagens Milenares. E A História Continua E Continuará… E Aqui, Neste Novo Império Meu, Nesta Nova Era Minha, Continuarei A Contar Através Do Meu Tradutor Mais Fiel E Sem Nome Nenhum A História Do Quarto Sexo, A História Do Sexo Verdadeiramente Forte!

Inominável Ser
OUVINDO
O PRIMEIRO
HISTÓRICO SIBILAR
DA SENHORA DE TODOS
OS SEXOS
LILITH

Nenhum comentário: