quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Entreguem-Se, Entreguem-Se, ENTREGUEM-SE!!!


Black Beauty - Casimir Lee


Entreguem-Se,
Eu Exijo
Vossas Entregas
Aos Meus Rituais
De Denso Prazer!

Entreguem-Se,
Eu Exijo
Vossas Carnes
Como Oferendas
Aos Meus Predadores
Lábios Nefastos!

Entreguem-Se,
Eu Exijo
A Exuberância De Vossa
Total Escravidão
Diante Do Meu Trono
Todo De Luxúria
E Todo De
Devassidão!

Entreguem-Se,
Eu Exijo
A Volúpia Amiga
Da Integral Perdição
E O Romper
De Cada Grilhão
Dos Corpos Em
Total Combustão!

Entreguem-Se,
Eu Exijo
O Veneno Fatal
De Vossos Cortes
Com O Lado
Que Menos Glorifica
Vossas Podres
Mortais Carnes!

Entreguem-Se,
Eu Exijo
O Derrotar Da
Falta De Emprego
De Vossos
Abismais Desejos
No Interior
Dos Leitos Onde
Fogo É O Nome
Do Maior
Veneno!

Entreguem-Se,
Eu Exijo,
Aqui Toda Aberta
Em Meu Trono
No Grande Deserto!

Entreguem-Se,
Eu Exijo,
Aqui Toda Aberta
No Interno Trono
Do Grande Deserto
De Vossas Almas!

Entreguem-Se,
Eu Exijo,
Meus Filhotes,
Aos Ninhos Povoados
De Tremor
E Paixão
Que Levem Aos
Submundos Maiores
Da Mais Depravada
Exaltação!

Entreguem-Se,
Eu Exijo,
Meus Filhotes,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A Mim,
A MIM!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

ENTREGUEM-SE!!!

SEM MEDOS!!!

SEM BARREIRAS!!!

SEM MURALHAS!!!

SEM TRAVAS!!!

NAS TREVAS!!!

NAS CAMAS!!!

NOS INFERNOS!!!

NOS ABISMOS!!!

A MIM!!!

A MIM!!!

A MIM!!!

ENTREGUEM-SE!!!

Inominável Ser
LILITH




Maré Que Jamais Cessará


On The Cycle - Casimir Lee


Secarão todos
Os mares
Da Criação,
Mas,
Da Tua Vulva
Ainda Continuará
A Jorrar
O Gozo Maior
De Todos Os
Gozos Primordiais.

Todos os mundos
Serão desertos,
Todas as vidas
Serão extintas,
Mas,
Da Tua Vulva
Ainda Continuará
A Jorrar
O Sangue Maior
De Todos Os
Sangues Primordiais.

Tudo será
A Morte,
Tudo será
A Deusa Morte,
Mas,
Da Tua Vulva
Ainda Continuará
A Jorrar
O Veneno Maior
De Todos Os
Venenos Primordiais.

Todas As Trevas
Engolfarão As Terras,
Toda Treva
Será Toda Terra,
Mas,
Da Tua Vulva
Ainda Continuará
A Jorrar
O Vinho Maior
De Todos Os
Vinhos Primordiais.

Da Tua Vulva,
Serpente
Das Infinitas Marés
Da Luxúria,
Da Tua Vulva
Da Tua Vulva,
Da Tua Vulva!

Da Tua Vulva,
Serpente
Da a Infinitas Marés
Adversárias,
Da Tua Vulva
Da Tua Vulva
Da Tua Vulva!

Da Tua Vulva,
Serpente
Das Infinitas Marés
Libertadoras,
Da Tua Vulva
Da Tua Vulva
Da Tua Vulva!

DA TUA VULVA!!!

DA TUA VULVA!!!

DA TUA VULVA!!!

DA TUA VULVA!!!

DA TUA VULVA!!!

DA TUA VULVA!!!

DA TUA VULVA!!!

DA TUA VULVA!!!

DA TUA VULVA!!!

Inominável Ser
ENTREGUE
À VULVA
DE LILITH




Teu Venenoso Romance


Pleasure - Casimir Lee


Tu não permites
Amor,
Não é uma Filha Do
Amor,
Não é uma Devota Do
Amor,
Não Considere O
Amor,
Mas,
Sabes o que eu
Por Ti
Sinto…

Tu me devoras
Como a furiosa
Vampira Gloriosa
Que Tu És,
Mesmo assim
Sabes o que eu
Por Ti
Sinto…

Tu sugas meu
Sangue inteiro,
Me põe mais
Nas Estradas
Da Loucura
Do que nas Vilas
Da Sanidade,
Mesmo
Sabendo o que eu
Por Ti
Sinto…

Talvez seja mesmo
Loucura
Sentir o que Tu
Sabes
Que sinto
Por Ti…

Talvez o meu
Verdadeiro Prazer
Seja sofrer
Sentindo o que
Por Ti
Sinto…

O que
Por Ti
Sinto,
Afinal?

O que
Por Ti
Sinto,
Aliás?

O que
Por Ti
Sinto,
Oras?

A resposta
Nem eu mesmo
Sei,
Senhora que me
Escraviza…

Somente sigo
Sentindo.

Inominável Ser
ENTREGUE
AO QUE SENTE
POR LILITH




terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Ancoradouro Da Mais Intensa Beleza


Eva - Casimir Lee


As Belezas Universais
Não Se Comparam
Aos Objetos Dos Mais
Infinitos Reflexos
De Seus Eternos
Tesouros.

As Belezas Anti-Universais
Não Se Aconchegam
Nem Mesmo Perto
Dos Outros Espaços
De Todos Os Seus
Anti-Universos.

Tu És A Mais Bela
Que Sibila Para
Tudo

Tu És A Mais Esbelta
Que Sibila Para
Todos.

Tu És A Mais Atraente
Que Sibila Para
O Todo.

Eu,
No entanto,
Um efêmero retalho,
Um efêmero inseto,
Um efêmero verme
Que pelos Vossos Pés
É esmagado,
Posso ser facilmente
Pelo Todo pulverizado…

Eu sou humano,
Eu sou menor,
Serpente Das Serpentes,
E sempre ouso me dar
Como oferenda
Para Vossas picadas
Em meu Ser…

Me Morda,
Ó,
Bela Sibilante!

Me Morda,
Ó,
Esbelta Sibilante!

Me Morda,
Ó,
Atraente Sibilante!

Me Morda
Me Morda
Me Morda,
Ó,
Sibilante Serpente
De Toda Obscura
Senda!

Me torne em Ti
Belo,
Esbelto
E atraente,
Mesmo eu estando
Aos Vossos Pés
Cadavérico!

Inominável Ser
ENTREGUE
ÀS MORDIDAS
DE LILITH




sábado, 3 de dezembro de 2016

Entre Os Laços Mais Realizados


Disturbing Seasons - Casimir Lee


Imaginando muitas coisas
Que ficam caladas
Nas horas corretas
E nas horas erradas,
Sou atado a laços
Que não se expandem
E se expandem
No mesmo tempo
Singrado…

Minha pele vai caindo,
Caindo como a pele
De uma antiga serpente
Que caiu de repente
Em um mundo arisco,
Mundo este de
Inúteis laços,
Mundo este de
Imundos laços,
Mundo este de
Multidões de laços
Por mim negados.

E A Antiga Serpente,
A Adversária Mais Fiel
Dos Pombos Assassinados
Em Si Mesmos,
Abre as pernas acima
Dos sóis,
Volta o ânus em direção
Às luas,
Derrama Sangue
Da Grande Vagina Dela,
Derrama Sangue
Do Grande Ânus Dela,
Me enlaçando infindo
Em um mundo que
Muito quero.

Corto os laços daqui
Deste mundo seco…
Ela me ata
Ao Sangue fresco
Do Mundo Dela.

Corto os laços daqui
Deste mundo virgem…
Ela me ata
A
Às Penetrações
Do Mundo Dela.

Corto os laços daqui
Deste mundo civilizado…
Ela me ata
Às Selvagerias
Do Mundo Dela.

Corto os laços
Com a Terra…
Corto os laços
Com a Humanidade…
Corto meus pulsos…
Corto minha jugular…
Ela me ata
Aos Laços
Do Mundo Dela.

E amarrado aos quadris
Dela a dançar como
Cigana Anti-Cósmica,
Amarrado em Laços
Que infinitamente possuem
Todos Os Mundos Além
Dela,
Sigo transitando como
Inominável Eremita
Em fronteiras extintas
E muros derrubados
Desde as Origens
Da Material Chacina.

Inominável Ser
ENTREGUE
AOS MUNDOS
DE LILITH