quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Da Assassina Loucura Relampejante



Os delírios ocultos são
os destinos mais dignos
de todo instinto cravado
na pele a arder.

Delirar à luz é êxito,
delirar à sombra é prêmio:
alternância entre as entradas
e saídas do corpo.

Delirar à luz é mágico,
delirar à sombra é trágico:
alternância de suores
nas pudendas partes de sorte.

Delirar à luz é agradável,
delirar à sombra é obrigatório:
alternância de alívios
nas erógenas paragens.

É ao instinto que a carne
se faz na assassina
loucura relampejante
de beijos na boca suada.

É ao instinto que a carne
se faz na assassina
loucura relampejante
de mãos penetrantes.

É ao instinto que a carne
se faz na assassina
loucura relampejante
de membros nada vacilantes.

Instinto de caça,
loucura de devassa,
instinto de loba,
loucura de libertina.

Loucura em arcos,
instinto em lâminas,
loucura em abraços,
instinto em braços.

Instinto em loucura,
loucura em instinto,
todo instinto na loucura,
toda loucura no instinto:

O erguer de novos troncos
para as árvores que
jamais são derrubadas
na Luxúria Inominável.

Inominável Ser
ASSASSINO
LOUCO
RELAMPEJANTE
DA CARNE



Nenhum comentário: