segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Incorporo Em Todos Com Todos Os Nomes Da Carnal Loucura!



Meu Avanço É Dinamitante
Das Seguranças
Moldadas Pelas Vossas
Existenciais Travas.
Seguro Cada Uma Destas
E Com Meus Dentes
Arranco-As De Vossas
Ridículas Almas.
Bem Dentro Arraso
Todas As Vossas
Estruturas Tão Tolas,
Rasgando As Paredes
De Vossas Torres,
Mastigando As Cinzas
De Vossos Sonhos,
Cuspindo Nas Sombras
De Vossas Alegrias
E Sangrando Acima
De Vossos Pensamentos.
Onde Eu Me Encontro
Dentro De Vós,
Humanos?
Onde Podem Me Encontrar
Dentro De Vós,
Humanos?
Onde Podem,
Malditos Humanos,
Me Encontrar Aí Dentro
De Vossas Carcaças
Que O Tempo Tratará
De Apodrecer?

Perguntem Às Vossas
Tolas Carnes.

Perguntem Às Vossas
Tolices Carnais.

Perguntem Às Vossas
Tolas Vestes Carnais.

Perguntem
E Me Encontrarão
Na Ardente Loucura
Do Verdadeiro
Prazer!

Perguntem
E Me Encararão
Na Profunda Loucura
Do Verdadeiro
Êxtase!

Perguntem
E Me Encantarão
Na Profunda Loucura
De Vossas Carnes
Em Verdadeira
União!

Incorporem
A Minha Loucura,
Humanos,
Vistam As Minhas
Escamas,
Vistam As Minhas
Penas!
Sibilem Com A
Coruja,
Piem Com A
Serpente,
No Encontro Maior
Com A Verdade
De Meus Nomes
Em Vossos Membros
Nas Chamas
Da Foda!
Como A Coruja,
Como A Serpente,
Despojem-Se Do Lixo
Que Vossa Humanidade
Depositou Em Vossos
Eus!
Despojem-Se
E Sejam Carne
De Minha
Carne!
Despojem-Se
E Sejam A Loucura
Da Minha
Loucura!
Despojem-Se
E Sejam Os Nomes
Dos Meus
Nomes!

E Juntem Vossos
Corpos,
Atem Vossas
Carnes,
Ao Meu
Luxurioso Nome
Indecifrável!

Inominável Ser
LILITH




Nenhum comentário: