segunda-feira, 21 de março de 2016

Multidão Que Está A Crescer



A Areia
conta
sua história
junto à
Raiz.

A Raiz
conta
seu alcance
junto aos
Grandes Horizontes.

Os
Grandes Horizontes
não possuem
medidas,
povoamentos
e assentamentos.

O Deserto
está
vazio.

O Grande
Deserto
vazio.

O Deserto
está
rindo.

O Grande
Deserto
rindo.

O Deserto
está
aqui.

O Grande
Deserto
aqui.

E uma
multidão
nasce.

Uma
multidão
sem face.

Uma
multidão
sem voz.

Uma
multidão
sem trajes.

Uma
multidão
sem nomes.

Quem
dá nomes
a cada um
desta multidão?

Quem
dá trajes
a cada un
desta multidão?

Quem
dá voz
a cada um
desta multidão?

Quem
dá face
a cada um
desta multidão?

“Eu,
A Serpente,
Senhora
Das Múltiplas
Faces,
Das Múltiplas
Vozes,
Dos Múltiplos
Trajes
E Dos Múltiplos
Nomes,
Os Quatro Realizadores
Caminhos Que Guiam
Ao Meu Coração
Ensanguentado
E Em Chamas!”

Multidão
Em meu corpo
A crescer.

Multidão
Em minha mente
A crescer.

Multidão
No espírito que eu sou
A crescer.

Multidão
Crescente
A me fazer
Ermitão.

Inominável Ser
ERMITÃO
NA MULTIDÃO
DOS CAMINHOS
DO CORAÇÃO
ENSANGUENTADO
E EM CHAMAS
DA SERPENTE
LILITH




sexta-feira, 18 de março de 2016

Raiz Que Está A Crescer



A Árvore Das Depravações
joga suas folhas
sobre O Altar
que está sendo reerguido…

O Altar
que ontem serviu
aos Negros
Poderes…

O Altar
que ontem seguiu
aos Gloriosos
Devastadores…

O Altar
que ontem clamou
aos Deuses
Do Outro Lado…

A Raiz cresce
entranhada em Mundos
cuja imagem é
aos mortais proibida.

A Raiz cresce
levando tumulto
a todos os Labirintos
Da Vida.

A Raiz cresce
elevando outros Altares
em todos os Pilares
Da Morte.

E quem dá
à Raiz
O Poder para
crescer?

E quem plantou
tal Raiz
de uma Árvore a
crescer?

E quem protege
a Raiz
que está a
crescer?

“Eu,
A Serpente,
A Senhora Da
Árvore Anti-Cósmica,
Guiando Meus
Verdadeiros Filhos
No Caos Chamado
Ordem
E Bebendo O Sangue
Das Tribos
De Mundos
Que Não Reconhecem
Meus Atributos
Como Guardiã
Do Que Oculto
Cresce!”

Raiz
em meu corpo
a crescer.

Raiz
em minha mente
a crescer.

Raiz
no espírito que eu sou
a crescer.

Raiz
Crescente
a me fazer
Elevado.

Inominável Ser
ELEVADO
PELA RAIZ
DA ÁRVORE
ANTI-CÓSMICA
PLANTADA PELA
SERPENTE
LILITH




terça-feira, 15 de março de 2016

Aridez Que Está A Nascer



A voz do vento
que chega
é árida como
deserto feroz…

Quem está assim
a aridamente
falar
em Grande Voz?

A voz do vento
que chega
é árida como
árvore desfolhada…

Quem está assim
a aridamente
sussurrar
em Grande Voz?

A voz do vento
que chega
assume aridez
a entorpecer-me…

Quem está assim
a aridamente
falar
em Grande Voz?

A voz do vento
que chega
é da aridez
mais embriagante…

Quem está assim
a arduamente
sussurrar
em Grande Voz?

A voz do vento
que chega
é A Primeira Aridez
Que É…

Quem está assim
a aridamente
falar?

Quem está assim
a aridamente
sussurrar?

Falar
e sussurrar
em Grande Voz?

“Eu,
A Serpente,
Assim
Falo,
Assim
Sussurro,
Pronunciando
O Impronunciável
Da Minha
Infinita
Aridez
Infinitamente
Pronunciável!”

Aridez
em meu corpo
a nascer.

Aridez
em minha mente
a nascer.

Aridez
no espírito que eu sou
a nascer.

Aridez
Nascente
a me fazer
Renascer.

Inominável Ser
RENASCENDO
A CADA FALA
E A CADA
SUSSURRO
DA
SERPENTE
LILITH




segunda-feira, 7 de março de 2016

Nadai Em Meus Laços, Mortais!



Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais,
Fugindo Da
 Morte
Na Carne
Que Vai
Apodrecer
E Que
Vós Sois!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais,
Vestindo
As Minhas
Escamas,
A Imortal
Carne
Maior!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais,
Sou A Fuga
Do Lago
Do Transitório,
Sou O Território
Que Do
Outro Lado
Traz O Eterno
Encontro
Com Uma Verdade
Que Os Sóis
Da Iluminada
Cidade Derrubada
Jamais Trarão!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais,
Sou A Vocação
Da Afirmativa
Narração
Do Verbo
Que Deforma
A Mentira
Da Cósmica
Vastidão!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais,
Do Outro Lado
Estou
A Odiar
O Kosmos,
Daqui Onde
Estou
Há A Verdadeira
Liberdade
Essencial
Que Se Afirma
Real!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais,
Levo A Vós
A Luxúria
Que Carrega
Para O Lado
Melhor!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais,
Sou Para Vós
Ainda
Temida
E Desconhecida,
Mas,
Experimentem
Nadar Em Meus
Lagos
Onde Mordo,
Arraso,
Arrebato
E Aprisiono
Para Libertar!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais!

Nadai!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais!

Nadai!

Nadai
Em Meus
Laços,
Mortais!

NADAI!!!

NADAI!!!

NADAI!!!

NADAI!!!

NADAI!!!

NADAI!!!

NADAI!!!

NADAI!!!

NADAI!!!

E Afoguem-Se
Para Que
Eu Vos Possa
Fazer
Verdadeiramente
Respirar!

Inominável Ser
LILITH




domingo, 6 de março de 2016

O Laço Que Mais Arrebata




Encaro
minha condição,
 aqui
nesta Vulva
onde Ela me diz
para aprender
a saber
melhor jogar
o meu esperma
longe,
bem longe,
muito
longe…

Analiso
minhas algemas,
são pesadas,
são arrasadoras,
são pelo solo
cheio de areia
arrastadas…

Meço
o alcance dos
meus anos
aqui como um
prisioneiro,
pena
que começou
ontem,
pena
que continua
hoje,
pena
que acabará

NUNCA!!!

Pois é
A Pena
Do
Condenado
Afirmador
Da Carne!

A Pena
Do
Bardo
De Nenhum
Nome
Que Afirma
A Carne!

A Pena
Do
Inominável
Ser
De Sibilante
Carne!

As grades
estão
sempre
abertas!

As chaves
estão
sempre
aqui!

A saída
é
por
ali…

Mas,
não sou
puritano
idiota,
prefiro ficar
mesmo
por aqui!

Qual melhor
Prisão

além
desta Vulva?

Inominável Ser
ETERNAMENTE
ARREBATADO
POR ESTA
LILITHIANA
PRISÃO