quinta-feira, 14 de abril de 2016

Ritual Que Está A Crescer



Aos Obscuros Céus,
Ao Zênite Da
Obscuridade,
Ergo meus braços
Como Ela ergue
Os Dela.

Para O Outubro
Das Noturnas Estações,
O Gigantesco Hino
Das Negras Orações,
Lanço minha voz
Em Cânticos
De Horror.

Cantam meus Cânticos
Sobre O Horror
Da Humana
Natureza.

Contam meus Cânticos
Histórias sobre
A Beleza
Do Outro Lado.

Coroam meus Cânticos
Versos embebidos
Do sangue derramado
Pelos Vitoriosos.

Símbolos
Vou desenhando
Em minhas
Escamas.

Símbolos
Vou tatuando
Em minhas
Presas.

Símbolos
Vou gravando
Em minhas
Garras.

E a minha mente
E o meu corpo
E a minha alma
Ritualizam…

Quem atende
Aos Chamados
Dos meus
Cânticos de Horror?

Quem chega
Atraída pela
Minha estremecida
Voz em Horror?

Quem incorpora
Em mim
Incentivada pelo
Meu Horror?

“Eu,
A Serpente,
O Horror
Dos Apegados Filhos
Da Vida,
O Horror
Dos Apagados Filhos
Da Morte,
A Mãe
De Uma Vida
Fora Da Deteriorada
Esfera De Todas
As Humanidades,
A Mãe
De Uma Morte
Das Mais Tremendas
E Aterradoras
Que Livram
Todos Aqueles
Que São Meus
Do Grande Carrasco
Tempo
E Da Grande Carrasca
Efemeridade
No Espaço
Dos Meus Palácios
De Libertação,
Êxtase
E Glórias!”

Ritual
Em meu corpo
A crescer.

Ritual
Em minha mente
A crescer.

Ritual
No espírito que eu sou
A crescer.

Ritual
Crescente
A me conceder
O Fervor.

Inominável Ser
FERVOROSO
MAGO NEGRO
DA LIBERTAÇÃO
DO ÊXTASE
E DAS GLÓRIAS
DA SERPENTE
LILITH




terça-feira, 12 de abril de 2016

Raio Que Está A Nascer



Desce pelos Caminhos
Que cadáveres
Ainda escavam
Entre a Poeira
Temporal
E a Máquina
Da Efemeridade.

Agita O Plano
Maior Das Idades
Como um antigo
Pergaminho a condenar
Os termos de hoje
Do Existir.

É O Raio
Sibilante
Que
Nasce.

É O Raio
Envenenado
Que
Nasce.

É O Raio
Embriagado
Que
Nasce.

Sibilante
Envenenador
Embriagante
Raio
Que
Nasce.

Nasce
Assassinando
Os Fracos
Oprimidos
Pelas Divinas
Mentiras.

Nasce
Fulminando
Os Tolos
Que Se Acham
Máximas Reais
A ponto de poderem
Suportá-Lo.

Nasce
Arremessando
Ao Solo do Vazio
Aqueles que
Julgam poder
Humanamente
Interpretá-Lo.

Quem
Faz Nascer
O
Raio
Que Sibila?

Quem
Faz Nascer
O
Raio
Que Envenena?

Quem
Faz Nascer
O
Raio
Que Embriaga?

“Eu,
A Serpente,
Senhora De
Um Raio
Que Traduz
O Meu Veneno,
A Minha Embriaguez
E,
Acima De Tudo,
O Meu Sibilar
Naqueles Que Escolho
Para
Embriagar,
Envenenar
E,
Também,
Sibilar
Como Eu Sibilo
Nas Tempestades
Deste
E Do Outro
Lado!”

Raio
Em meu corpo
A crescer.

Raio
Em minha mente
A crescer.

Raio
No espírito que eu sou
A crescer.

Raio
Crescente
A me fazer
Veloz.

Inominável Ser
VELOCISTA
NO RAIO
SIBILANTE
EMBRIAGANTE
E ENVENENANTE
DA SERPENTE
LILITH