quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Minha Voz Está Em Todas As Infinitas Canções Que Nascem Da Minha Vulva!


Photo by Wolfgang Prummer


CANTO!!!

E Este Meu
Canto
É A Palavra
Do Meu
Veneno!

CANTO!!!

E Este Meu
Canto
É O Desejo
Do Meu
Ódio!

CANTO!!!

E Este Meu
Canto
É O Desejo
Do Meu
Poder!

CANTO!!!

E Sou Absoluta
No Império
Onde Destroço
Tua Mãe
Anti-Natural!

CANTO!!!

E Sou Suprema
No Império
Onde Aniquilo
Teu Pai
Anti-Natural!

CANTO!!!

Sou Onipotente
Nas Canções
De Tua
Carne
Nos Leitos!

CANTO!!!

Sou Onisciente
Nas Canções
De Tua
Carne
No Gozo!

CANTO!!!

Sou Onipresente
Em Vossas Carnais
Canções
Na Vida
E Na Morte!

CANTO!!!

E Te Penetro
Com As Garras
Que Rasgam
O Tecido
Do Amor!

CANTO!!!

E Te Violento
Com As Garras
Que Rasgam
As Mentiras
Do Teu Deus!

CANTO!!!

E Te Conquisto
Com As Garras
Que Rasgam
A Cegueira
Do Teu Olhar!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

CANTO!!!

E SEMPRE HEI
DE CANTAR!!!

Inominável Ser
LILITH




Nenhum comentário: