sábado, 3 de dezembro de 2016

Entre Os Laços Mais Realizados


Disturbing Seasons - Casimir Lee


Imaginando muitas coisas
Que ficam caladas
Nas horas corretas
E nas horas erradas,
Sou atado a laços
Que não se expandem
E se expandem
No mesmo tempo
Singrado…

Minha pele vai caindo,
Caindo como a pele
De uma antiga serpente
Que caiu de repente
Em um mundo arisco,
Mundo este de
Inúteis laços,
Mundo este de
Imundos laços,
Mundo este de
Multidões de laços
Por mim negados.

E A Antiga Serpente,
A Adversária Mais Fiel
Dos Pombos Assassinados
Em Si Mesmos,
Abre as pernas acima
Dos sóis,
Volta o ânus em direção
Às luas,
Derrama Sangue
Da Grande Vagina Dela,
Derrama Sangue
Do Grande Ânus Dela,
Me enlaçando infindo
Em um mundo que
Muito quero.

Corto os laços daqui
Deste mundo seco…
Ela me ata
Ao Sangue fresco
Do Mundo Dela.

Corto os laços daqui
Deste mundo virgem…
Ela me ata
A
Às Penetrações
Do Mundo Dela.

Corto os laços daqui
Deste mundo civilizado…
Ela me ata
Às Selvagerias
Do Mundo Dela.

Corto os laços
Com a Terra…
Corto os laços
Com a Humanidade…
Corto meus pulsos…
Corto minha jugular…
Ela me ata
Aos Laços
Do Mundo Dela.

E amarrado aos quadris
Dela a dançar como
Cigana Anti-Cósmica,
Amarrado em Laços
Que infinitamente possuem
Todos Os Mundos Além
Dela,
Sigo transitando como
Inominável Eremita
Em fronteiras extintas
E muros derrubados
Desde as Origens
Da Material Chacina.

Inominável Ser
ENTREGUE
AOS MUNDOS
DE LILITH




Nenhum comentário: